A confissão auricular e a venda de indulgências

Século VIII – Confessionário

A prática da confissão auricular foi introduzida em 758 pelos “religiosos” do Oriente e estabelecida oficialmente pelo 4º Concílio de Latrão em 1215 com o objetivo de descobrir os segredos dos fieis e exercer poder de chantagem, de forma a subtrair lucros e favores políticos e sociais.

Século XI – As indulgências

Ainda outra artimanha era necessária para habilitar Roma a aproveitar-se dos temores e vícios de seus súditos. Esta foi suprida pela doutrina das indulgências. Completa remissão dos pecados passados, presentes e futuros, e livramento de todas as dores e penas que aos mesmos importam, eram prometidos a todos que se alistassem nas guerras do pontífice para estender seu domínio temporal, castigar seus inimigos e exterminar os que ousassem negar-lhe a supremacia espiritual. Ensinava-se também ao povo que, pelo pagamento de dinheiro à igreja, poderia livrar-se do pecado e igualmente libertar as almas de seus amigos falecidos, que estivessem condenados às chamas atormentadoras. Por esses meios, Roma abarrotou os cofres e sustentou a magnificência, o luxo e os vícios dos pretensos representantes de CRISTO.

DEIXAR UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

17 − quinze =