Entrevista ao Jornal Opa! do Rio Grande do Sul

jornal-opa-inri-cristo

Edição Agosto / 2012

1 – Quando o senhor percebeu que era a reencarnação de Jesus Cristo na terra? E como foi a sua reação?

INRI CRISTO: “Desde criança obedeço a uma voz forte e imperiosa que fala no interior da minha cabeça, mas até o jejum eu desconhecia quem era essa força sobrenatural que me comandava. Só sabia que tinha de obedecer, e nas vezes que não obedecia, sentia uma dor lancinante na cabeça. Pra resumir a história, porque minha história é muito longa, foi obediente a essa voz que, em setembro de 1979, me submeti ao jejum em Santiago do Chile. Sendo a primeira vez que jejuava, não sabia da necessidade de ingerir água, ou seja, ‘jejuei a seco’. Meu corpo estava em vias de um processo de inanição. De repente, a voz disse, desta vez mais imperiosa do que nunca: ‘Levanta-te!’. Ao levantar, mareei porque quando se jejua o sangue demora subir à cabeça. Minhas mãos não me ampararam, bambearam para trás. Meus braços não me sustentaram e caí com o nariz no chão, como podeis atestar até hoje a cicatriz resultante da queda. Então, em meio a uma poça de sangue, a voz disse: ‘As dores são necessárias, o sangue é necessário para que, quando te insultarem e reprovarem, te lembres que é o mesmo sangue que derramaste na cruz. Eu sou o DEUS de Abraão, de Isaac e de Jacob, Eu sou teu SENHOR e DEUS, e tu és o mesmo Cristo que crucificaram. E doravante caminharás sobre a Terra como um peregrino errante. Serás prisioneiro, expulso, humilhado, odiado. Pagarás para dormir e não te deixarão dormir, tua túnica estará suja e não terás quem a lave, muitos rirão e debocharão de ti para que conheças bem os corações de teus filhos, que são o teu povo. Mas Eu serei contigo.’

Então Ele revelou o mistério do meu nome, cuja segunda letra estava em sentido contrário (Iuri # Inri) e desvendou, como se fosse na tela de um filme, todo o meu passado, os estágios das anteriores encarnações. Eu que vos falo sou o Primogênito de DEU