Entrevista de INRI CRISTO ao portal ‘LeiaJá’ na íntegra

Inri Cristo no Vaticano em setembro de 1983 (Foto: Arquivo Pessoal)

‘Brasília é a Nova Jerusalém’, diz ‘Inri Cristo’

Em entrevista ao LeiaJá, Inri afirma que após ouvir uma ‘voz’, entendeu que era a reencarnação própria de Jesus Cristo. Atualmente vive em Brasília, local chamado por ele de ‘Nova Jerusalém’

30/03/2018 – por Eduarda Esteves

Figura de sucesso em programas populares da televisão brasileira, estampou manchetes de jornais nacionais e internacionais, participou de peças teatrais, foi fonte de pesquisa em documentários, livros e em material acadêmico. Aos 70 anos, Álvaro Inri Cristo Thais, mais conhecido apenas como ‘Inri Cristo’, afirma ser a reencarnação de Cristo e portanto, filho legítimo de Deus.

Polêmico, visto muitas vezes pelos brasileiros como uma piada ou um humorista charlatão, Inri já foi preso mais de 40 vezes, além de banido da Grã Bretanha, Estados Unidos e Venezuela por causa de suas afirmações e comportamentos.

Inri nasceu no município de Indaial, interior do estado de Santa Catarina, no dia 22 de março de 1948. Foi criado por um casal de camponeses alemães católicos, Wilhelm e Magdalena Thais. Após ser alfabetizar, precisou abandonar a escola para ajudar sua “mãe” nos serviços domésticos já que o marido dela havia sofrido um acidente de trabalho.

Durante a adolescência trabalhou como verdureiro, padeiro, entregador de alimentos, mascate, garçom, entre outras atividades. Nessa época, Inri diz ter testemunhado certas falcatruas no catolicismo e por este motivo rompeu qualquer vínculo com religião tornando-se ateu, até a revelação de sua identidade, que se daria apenas em 1979.

Em 1969, aos 21 anos, iniciou a vida pública como profeta, apresentando-se como Iuri; falava nas rádios anunciando o porvir e ajudava as pessoas com a solução de seus problemas. Inri peregrinou por 27 países transmitindo sua mensagem. Apenas em 1979 é que “a voz” afirmou que ele era a reencarnação do filho de Deus. Em 1980, expulso da Inglaterra, foi declarado apátrida na França, que o acolheu por sete meses. Posteriormente, Inri Cristo fundou a instituição “Suprema Ordem Universal da Santíssima Trindade” (SOUST) em 28 de fevereiro de 1982 após ter praticado o “Ato Libertário” dentro da Catedral Metropolitana de Belém.

Atualmente, Inri mora com 12 de seus discípulos – três homens e nove mulheres – em um sítio cercado de arame farpado e cerca elétrica na cidade satélite do Gama, 35 quilômetros distante de Brasília, cidade que ele chama de Nova Jerusalém.

Em entrevista ao LeiaJa.com, Inri conversou sobre sua trajetória, a desconfiança das pessoas, o momento político do Brasil e ainda fez críticas contra as costumeiras encenações da “Paixão de Cristo’ na época do Páscoa.

Inri Cristo diz que Brasília é a “Nova Jerusalém” (Foto: Arquivo Pessoal)

Você diz que é a reencarnação de Jesus Cristo. Como soube disso?

Obediente à voz que me comanda desde a infância, em setembro de 1978 parti do Brasil despojado de bens terrenos rumo a La Paz, na Bolívia. Em resumo, após peregrinar por diversos países da América Latina, ainda na condição de profeta, vivenciando uma série de coincidências insólitas, em setembro de 1979 fui conduzido pela Divina Providência ao jejum em Santiago do Chile. Sendo a primeira vez que jejuava, não sabia da necessidade de ingerir água, ou seja, ‘jejuei a seco’. Meu corpo estava em vias de um processo de inanição. De repente, a voz disse, desta vez mais imperiosa do que nunca: ‘Levanta-te!’. Ao levantar, mareei porque quando se jejua o sangue demora subir à cabeça. Minhas mãos não me ampararam, bambearam para trás. Meus braços não me sustentaram e caí com o nariz no chão, como podeis atestar até hoje a cicatriz resultante da queda. Então, em meio a uma poça de sangue, a voz se revelou: ‘As dores são necessárias, o sangue é necessário para que, quando te insultarem e reprovarem, te lembres que é o mesmo sangue que derramaste na cruz. Eu sou o Deus de Abraão, de Isaac e de Jacob, eu sou teu senhor e Deus, e tu és o mesmo Cristo que crucificaram. E doravante caminharás sobre a terra como um peregrino errante. Serás prisioneiro, expulso, ultrajado, odiado. Pagarás para dormir e não te deixarão dormir, tua túnica estará suja e não terás quem a lave, muitos rirão e debocharão de ti para que conheças bem os corações de teus filhos, que são o teu povo. Mas eu serei contigo.’ Então ele revelou o mistério do meu nome, cuja segunda letra estava em sentido contrário (Iuri X Inri), e desvendou, como se fosse na tela de um filme, todo o meu passado, os estágios das anteriores encarnações. Eu que vos falo sou o Primogênito de Deus, que renasci, reencarnei Noé, Abraão, Moisés, David, etc., depois Jesus e agora INRI.

Nesse período de Semana Santa, a tradição Católica celebra a paixão, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo. Como você se sente? Sempre revive esse momento?

Na verdade, eu não revivo, e sim revejo esse momento considerando a condição mórbida dos seres humanos que se comprazem em ver Cristo sendo açoitado pelos soldados romanos, achincalhado, denegrido durante as encenações. Revejo esse momento com uma lembrança sublime, uma vez que Deus me concedeu poder em transformar todas as ações nefastas contra o filho dele. Há dois mil anos, por ocasião da crucificação, meus inimigos teceram uma coroa de espinhos e, debochando, puseram-na sobre minha cabeça. Os mistérios de Deus são insondáveis; nada acontece na Terra sem o consentimento do Eterno. Ele escreve direito mesmo que por linhas tortas porque os homens entortam as linhas. Meu PAI, transforma em positivo tudo que meus inimigos tecem, maquinam de negativo contra mim. Ironicamente, com esta atitude, eles estavam na verdade me legitimando como Príncipe da Paz, representante do Rei dos reis, sendo o único príncipe coroado pelos inimigos.

Quais seus desejos para essa Semana Santa?

Meus sinceros desejos nesta semana são que os seres humanos desfrutem de mais racionalidade e cultivem o hábito que lhes deixei há dois mil anos de orar a meu PAI no quarto, com a porta fechada e não corram atrás dos falsos profetas e dos donos de cabresto; que os seres humanos comecem a despertar suas consciências e compreendam que não fui em carne e osso para o céu e não voltei de lá em carne e osso, e sim através da eterna e divina lei da reencarnação.

Gosta das encenações nesse período? Em Pernambuco, existe a Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, em que é dramatizada a história de Cristo. Já assistiu?

Sobre a referida dramaturgia, reitero que é uma repetição mórbida da violência perpetrada contra o filho do homem há dois mil anos; é para os que se comprazem em reviver as cenas de ódio praticado pelos inimigos do Reino de Deus, que se deleitam em ver sangue sempre de novo, a fim de satisfazer os primitivos, bestiais instintos de sadomasoquismo. Além de que, meu PAI, me revelou que Brasília é a Nova Jerusalém, conforme está escrito em Apocalipse.

Uma dúzia de discípulos – a maioria mulheres – vive em tempo integral com Inri (Foto: Arquivo Pessoal)

Por muitos é chamado de louco, personagem de humor e que sua fala é uma brincadeira. Como lida com as críticas?

Quando dizem que sou louco, que sou um personagem de humor e que minha fala é uma brincadeira, eu me lembro do que está em Lucas c.17 v.25 a 35: ‘Mas primeiro é necessário que ele (Cristo) sofra muito e seja rejeitado por esta geração. Assim como foi nos tempos de Noé, assim será quando vier o Filho do Homem’. Sou louco sim, louco de amor pela humanidade. Somente os ignorantes julgam alguém sem ao menos conhecer sua história de vida. Estes me inspiram piedade, pois vivem nas trevas da ignorância, e obstinados em afrontar meu PAI continuam invocando o meu nome antigo, obsoleto (Jesus). Eu estou aqui na Terra em carne e osso, cumprindo-se o que está previsto sobre o meu retorno. 

O que acontecerá com as pessoas que forem de encontro com a sua afirmação de que é Cristo. Haverá perdão?

A essas pessoas dedico uma advertência, que sintetiza minha realidade atual: reconheço o vosso direito de pensar e dizer o que quiserdes, desde que me respeiteis o direito e dever de esclarecer quem sou. Não escolhi ser Cristo, não posso vos obrigar a saber que sou, mas isto não altera minha realidade. Pensais que é fácil, obediente a meu PAI, andar indumentado assim, os ignorantes zombando de mim? Ainda que os malignos condenaram Galileu, a Terra continuou gravitando em torno do Sol. O sol brilha e, mesmo que todos duvidassem, ele não deixaria de ser Sol. Assim também, ainda que a maioria dos terráqueos não creiam que sou Cristo, continuo sendo o mesmo que crucificaram. Não me é facultado abrir a cabeça do néscio com um serrote e introduzir-lhe um bilhetinho dizendo: ‘Acorda-te, ignorante! Desperta-te! Sou Inri Cristo, o filho do homem’. Somente o demônio, Herodes possuído pelo demônio pediu e exige milagres. O maligno disse enquanto eu jejuava há dois mil anos: ‘Se és o filho de Deus, transforma estas pedras em pão’, ao que lhe respondi: ‘Nem só de pão vive o homem’. Em verdade, em verdade vos digo: eu não preciso provar nada a ninguém, porque o óbvio é ululante, não carece de provas. Vós, meus filhos, é que necessitais provar que sois dignos de meu PAI, único ser digno de adoração e veneração, onisciente, onipotente, onipresente, único senhor do Universo.

Como Cristo, o que achas da atual situação política do país?

O Brasil e o mundo estão atravessando uma metamorfose, os valores estão totalmente invertidos, está tudo ao contrário, com o tempo o homem foi invertendo os valores. Hoje em dia ser honesto e viver equilibrado é uma loucura, qualquer pessoa que vive coadunada com as leis divinas é qualificada de louca ou se quiser viver honestamente no minimo é qualificada de boba. No meu caso por exemplo, eu não chantageio o dízimo, não vendo sacramentos, enfim, vivo obediente à vontade de meu PAI, cumprindo as leis dele, então me qualificam pejorativamente de bobo e de louco. Por outro lado, o mundo está atravessando esta metamorfose e no dia e na hora certa, se não antes, depois da hecatombe nuclear, os herdeiros, os sobreviventes voltarão a viver de uma forma ortodoxa. Se Rui Barbosa vivesse nos tempos atuais, também o qualificariam de louco, por seu mais eloquente discurso: “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”. 

O comércio religioso ainda é uma realidade no Brasil? Religiões são criticadas por cobrar dízimos excessivos da população. O que pensas sobre isso?

É lícita a cobrança do dízimo bíblico e não a chantagem do miserável salário do povo. A chantagem do dízimo não se coaduna aos parâmetros bíblicos. O dízimo estabelecido na Bíblia consiste em dar à casa do SENHOR dez por cento do lucro. Nos tempos em que foi instituído o dízimo, a sociedade era constituída por três classes bem distintas: 1) os ‘senhores’ proprietários das fazendas; 2) os profissionais liberais e governamentais; 3) os servos e escravos. Neste caso, unicamente quem podia dar o dízimo à casa do senhor eram os proprietários das lavouras e dos rebanhos. Depois de pagar todos os encargos sociais, prover vestimenta e alimentação aos escravos e serviçais, do lucro auferido tiravam dez por cento para a casa do senhor, a fim de que Ele os abençoasse com abundância, protegendo-os de moléstias e pragas. Agora eu vos pergunto, meus filhos: qual é o lucro de um operário que trabalha de sol a sol e ao final do mês, recebendo um salário de fome, antes de pagar luz, água, aluguel e até o leite das crianças, tem que dar dez por cento a um velhaco engravatado que vive ilicitamente às custas de meu nome antigo, obsoleto (Jesus) e do nome de meu PAI?

Os lobos com pele de ovelha têm o coração duro, não sentem pena em explorar os pobres coitados que saem de madrugada com a marmita e, após uma longa jornada de trabalho, voltam exaustos, sugados. A chantagem do dízimo é crime, consiste na violação da lei de Deus e dos homens (estelionato – artigo 171 do Código Penal Brasileiro). O ilícito penal está caracterizado quando alguém se diz meu servo almejando chantagear o dízimo ou cobrar qualquer sacramento. Eu sou gratuito, voltei a este mundo para libertar os meus filhos desse jugo que lhes foi imposto à revelia da lei divina, motivo que leva esses impostores a se posicionarem fanática e obstinadamente contra mim.

Tu já esteves muito na mídia, nas grandes emissoras de televisão. Ultimamente, não tenho mais visto essas aparições. É por uma escolha?

Agora que estou há anos me apresentando no programa ‘INRICRISTO.TV’, todo sábado, ao vivo, às 11h da manhã em seu Facebook oficial, não faz muito sentido me deslocar até as emissoras de televisão, rádio, etc. Todavia, qualquer mídia aberta que almeja me entrevistar é bem-vinda à SOUST, basta agendar antecipadamente com a assessoria. Obviamente, para toda regra há exceções, havendo oportunidades viáveis, poderei me apresentar nos estúdios midiáticos. Com o advento da internet, a grande rede, cumpre-se o que está previsto sobre mim: ‘Todo olho o verá’. Inclusive, tenho recebido aqui na SOUST jornalistas da mídia estrangeira.

O que Inri faz diariamente?

Diariamente, eu respondo à mídia e oriento as pessoas que me procuram. Sou teodidata, meu PAI me instruiu e me induziu a ler muitos livros. Cultivo o hábito da leitura e recomendo os livros que já li aos seres eretos, aos que têm sede de aprimorar os conhecimentos de uma forma abrangente. Assisto filmes e documentários. Ouço, a princípio, música clássica. Obviamente, me alimento, cuido do meu corpo físico, sou naturista, enfim, vivo somente para cumprir a vontade de meu PAI.

Atualmente, vives em Brasília. Por quê?

Em fevereiro de 1980, quando estive pela primeira vez em Brasília, hospedado no Hotel das Américas, ao abrir pela manhã a janela do quarto com vistas à Esplanada dos Ministérios, foi-me revelado por meu PAI que Brasília é a Nova Jerusalém, onde futuramente deveria sediar a Nova Ordem Mística que iria estabelecer na Terra. Por isso, vivo aqui desde 18 de maio de 2006, quando o Reino de Deus, formalizado pela SOUST, foi transferido de Curitiba para Brasília.

De acordo com estatísticas, Brasília tem aproximadamente cinco mil seitas. Quem quiser ler a Bíblia e interpretar, interprete. Brasília é a minha noiva. Ela estava ataviada me esperando. E eu vim pra cá, mas não pude impedir os penetras que inspirados pelo maligno vieram antes, faz parte do jogo. Então Brasília tem essa faceta mística, por enquanto babujada pela presença dos lobos travestidos de ovelha, donos dos cabrestos. Quanto ao lado político, eu não posso ser conivente com os que por ignorância falam mal dela e dizem que Brasília tem culpa da corrupção nacional por ser a capital do Brasil. Não posso condenar Brasília por ser assim, porque ela alberga a sede do governo brasileiro: da administração federal, o executivo, legislativo e judiciário, etc, e tem aqui representantes de todas as partes do Brasil e do mundo, nem sempre a serviço do bem. Eu tenho que administrar a realidade. Nem todos os que vêm a Brasília são do bem. Assim como vieram os donos dos cabrestos das cinco mil seitas, também vieram os políticos corruptos de diferentes partes do Brasil, sem contar os que vieram de outros países. Brasília está aqui emitindo energias positivas para quem vem. Mas o senhor fará a triagem na hora certa; só ficará aqui na Nova Jerusalém, na capital mística do mundo, os que ele permitir. Os políticos corruptos sempre existirão, mas eles passam e Brasília fica. Que tenham todos a minha paz!

(Link da matéria publicada no portal LeiaJá: http://www.leiaja.com/noticias/2018/03/30/brasilia-e-nova-jerusalem-diz-inri-cristo)

DEIXAR UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

5 + 15 =