INRI CRISTO na mídia internacional – Janeiro 2014

Alguns meses antes de morrer aos 108 anos, um dos mais proeminentes rabinos de Israel, Yitzhak Kaduri, revelou em uma pequena nota que Yehoshua ou Yeshua (Jesus) é o Messias, provocando reações adversas no meio judaico. Kaduri deixou uma mensagem na sua sinagoga no Yom Kippur (o Dia do Perdão) ensinando como reconhecer o Messias (Fonte: Israel Today, 30 de abril de 2007). Ele também mencionou que o Messias apareceria para Israel depois da morte de Ariel Sharon. Coincidência ou não, enquanto o mundo noticiava o falecimento do ex-premiê de Israel em janeiro de 2014 após oito anos em coma, diversos veículos de mídia internacionais fizeram uma vasta publicação sobre INRI CRISTO. Creiam ou não, gostem ou não, INRI é o Messias que retornou para dar cumprimento às profecias milenares sobre sua presença na Terra. Nas palavras de Kaduri:

É difícil para muitas pessoas consideradas boas na sociedade entender a pessoa do Messias. A liderança e ordem de um Messias de carne e sangue é difícil de aceitar para muitos na nação. Como líder, o Messias não seguirá nenhuma profissão, nenhum ofício, mas estará entre as pessoas e usará a mídia para se comunicar. O seu reinado será puro e sem ambição pessoal ou política. Durante seu domínio, reinarão somente retidão e verdade”.

Confira a PUBLICAÇÃO NO DAILY MAIL EM 07-01-2014 e a tradução na íntegra a seguir.

Homem que pensa ser Jesus… junto com centenas de jovens que o seguem pelo mundo afora

  • INRI CRISTO, 66, de Brasilia, Brasil, acredita que ele é a reencarnação do filho de Deus
  • Cristo diz ter centenas de seguidores, alguns dos quais vivem no complexo de sua ‘igreja’
  • Em 35 anos, ele viajou para 27 países, foi detido 40 times e expulso da Inglaterra e Estados Unidos

Por SARA MALM

Um brasileiro de 66 anos passou 35 anos pregando a palavra de Deus – porque ele acredita que é a reencarnação de Jesus.

INRI CRISTO tem ‘centenas de seguidores’ do mundo todo, incluindo o Reino Unido e França, alguns dos quais vivem como ele no complexo de sua ‘igreja’ nos arredores de Brasilia.

Desde 1979 ele viajou por 27 países para transmitir sua mensagem, todavia suas visões controversas o fizeram ser expulso dos Estados Unidos, Inglaterra e Venezuela.