INRI CRISTO na revista National Geographic

I N R I - Perto de Brasília, Brasil, seguidores de INRI (Iesus Nazarenus Rex Iudaeorum: Jesus de Nazaré, Rei dos Judeus) empurram o seu messias em um pedestal andante. Uma dúzia de discípulos — na maioria mulheres — vivem em tempo integral com o celibatário de 69 anos em seu complex murado, protegido com arame farpado e cerca elétrica. INRI traz o seu nome das iniciais que Pôncio Pilatos escreveu sobre a cruz de Cristo. Seu despertar aconteceu em 1979.

Esta história aparece na edição de Agosto de 2017 da revista National Geographic e na edição de Setembro de 2017 da revista National Geographic Brasil.

História e Fotografias de Jonas Bendiksen
Como contada a Jeremy Berlin

‘Certamente eu venho logo.’

O penúltimo verso da Bíblia, profetizando o retorno de Jesus Cristo, sempre me fascinou. Quando é esse “logo”? E quem é este “Eu”? Nos últimos três anos estive com sete homens que alegam ser a Segunda Vinda de Cristo (cinco são mostrados aqui). Ao me imergir em suas revelações a passar um tempo com seus discípulos, tentei produzir imagens que ilustram o anseio humano por fé, significado e salvação.

Religião é de alguma forma misteriosa para mim, provavelmente porque não fui criado com isso na Noruega. Mas sempre curti ler a Escritura, e ao longo da última década meu interesse nela aumentou. Eu me vi retornando, de novo e de novo, para aquela linha misteriosa – uma promessa que o Cristianismo tem esperado por aproximadamente 2000 anos para ser cumprida.

Se Cristo estivesse para voltar para completar seu trabalho hoje, pensei, o que ele pensaria do mundo que criamos? E o que nós pensaríamos dele? Com esses pensamentos rolando na minha cabeça, decidi começar a procurar por messias.

Encontrei-os da forma que você encontra tudo hoje em dia: através do Google. Você pode pensar que haveria mais pessoas dizendo ser Cristo. Mas enquanto muitos podem ser chamados profetas, gurus, ou líderes espirituais, só uns poucos reúnem o que considero os critérios mínimos: revelações consistentes, anos de registros escriturísticos, discípulos seguindo-os.

Cada um desses homens é único. As comunidades que os cercam também são. Para a maioria das pessoas, a crença em um poder superior é algo abstrato. Mas para esses discípulos—a maioria dos quais parecem muito inteligentes; nenhum deles aparenta ter passado por uma lavagem cerebral ou estar louco – é algo tangível. Eles podem tocar sua fé.

Em todos os lugares, tentei manter uma mente aberta e mergulhar na realidade deles. Uma coisa com que me deparei é como vários desses messias são extremamente consistentes. O Novo Testamento é repleto de contradições, mas cada um desses homens tem uma narrativa que de certa forma reconcilia essas inconsistências. Em algumas formas eles são mais coerentes do que as Escrituras que temos.

Sei que muitas pessoas rejeitarão esses homens como farsantes ou lunáticos. Mas eu sempre pensei que uma parte fundamental das religiões abrâmicas – Judaísmo, Cristianismo, Islamismo – envolve a vinda de um messias. Essas fés podem discordar quanto à identidade e ao tempo, mas penso que concordam em uma premissa básica. Então se alguém aceita isso, por que não poderia ser um desses homens?

Para mim este projeto tem resultado mais em formular perguntas do que encontrar respostas. Espero que leve as pessoas ao mesmo – a pensar sobre a crença e quem tem o poder de defini-la.

O livro de Jonas Bendiksen The Last Testament (O Último Testamento) será publicado em Setembro de 2017 pela editora Aperture/GOST.

DEIXAR UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

2 × cinco =