10 – Espiritismo, cirurgias espirituais, precursor Alziro Zarur, LBV, Allan Kardec, Chico Xavier

1) Como identificar um espírito evoluído?

INRI CRISTO: “A medida da evolução de um espírito se resume no espaço de tempo que ele consegue permanecer num local restrito, vivendo feliz e satisfeito em sua própria companhia, ou seja, sem cansar de conviver consigo mesmo. Em atingindo esse estágio elevado, ele não estará jamais só e sim em simbiose com meu PAI, SENHOR e DEUS, Supremo CRIADOR do Universo”.

2) Quando um espírito atingiu o ápice da evolução, ele necessita reencarnar?

INRI CRISTO: “Justamente por haver atingido o ápice da evolução muitas vezes ele necessita reencarnar a fim de ajudar os não evoluídos a prosseguir na marcha evolutiva; ele volta à Terra para cumprir uma missão sob a ótica dos desígnios de DEUS”.

3) É possível regredir espiritualmente?

INRI CRISTO: “De novo pela lei do carma é possível alguém regredir da condição humana à bestial, até porque, principalmente nos tempos atuais, existem muitos espíritos remanescentes da condição bestial precocemente reencarnados em indumentária humana devido ao pecado da fornicação desenfreada e consequente explosão demográfica. Alguém que não mediu a perversidade ao maltratar os animais pode sim reencarnar como um ser bestial no intuito de saldar o débito com a lei. Quem não quiser ser enquadrado, trate de viver dentro da lei, não prejudicando os animais nem a natureza onde eles vivem”.

4) Uma pessoa que reencarnou como homem pode vir a reencarnar como mulher?

INRI CRISTO: “Considerando que os espíritos não têm sexo, tanto um homem pode reencarnar como mulher como uma mulher pode reencarnar como homem, às vezes até para saldar um débito carmático. Pela lei do retorno, se um homem faz mal a uma mulher ao se juntarem em matrimônio, então poderá reencarnar como mulher e encontrar em seu caminho um ser bestial disfarçado em indumentária humana, que lhe servirá como instrumento de expiação e evolução. Da mesma forma vale para uma mulher que maltrata o marido. A mudança do sexo também pode acontecer de acordo com a missão que o espírito tem para cumprir na Terra”.

5) A partir de que animal pode-se considerar que possui um espírito: ou seja, um inseto, uma barata, um mosquito chegam a ter alma?

INRI CRISTO: “Todos os seres viventes que se movem sobre a terra, sem distinção, foram animados pelo sopro divino. Logo, todos têm vida, cada qual com sua respectiva função no contexto ecológico. Além do aspecto meramente biológico, todos são movidos pelo espírito vivificante de DEUS. Não obstante, se algum desses animaizinhos invade o vosso território, não é pecado eliminá-los. Mas é pecado invadir o território deles para agredi-los e exterminá-los. Quanto à questão de ter ou não ter alma, que é a parte sublime do espírito, a parte que estabelece vosso elo espiritual com o CRIADOR SUPREMO e que requer vosso pleno estado de consciência, já não se pode atribuir a esses animais menores a presença da alma. É justamente quando engrandeceis a vossa alma após a purificação espiritual que aprendeis a respeitar e amar até esses seres tão minúsculos da ecologia, que embora não tenham alma, são integrantes do todo da criação divina. Metaforicamente dizendo, é como se os humanos, seres pensantes, fossem os neurônios do organismo, os animais maiores as células dos órgãos vitais (coração, rins, estômago, intestino, pâncreas, pulmão, etc.), os vegetais as células ósseas, e por fim os animaizinhos menores e insetos as células das mãos, dos pés, das unhas, dos cabelos, etc. Podemos até atribuir uma importância maior às células do cérebro e dos órgãos vitais, todavia só existe um harmonioso e equilibrado funcionamento deste organismo se todas as células de todos os órgãos estiverem funcionando bem em seu devido lugar. Uma unha, por mais periférica que seja, se for arrancada irá causar dor e deformar a perfeição do conjunto. Assim é na mãe natureza. E é por este motivo que vos ensino, da parte de meu PAI, a amar vossa mãe natureza a fim de viverdes bem e felizes, integrados a ela, e não dominando-a e destruindo-a. Eis por que voltei sem livre-arbítrio a este mundo a fim de orientar meus filhos a viver dentro da lei de DEUS”.

6) A carne de peixe pode ser comida sem pecado? O mesmo pergunto sobre pescar: pescar é pecado? Há carnes que podem ser comidas?

INRI CRISTO: “Não é pecado ingerir peixe, pois os peixes, por viverem em baixo da água, não possuem espírito. São movidos por uma energia hídrica e não transmitem ansiedade. Ensino os meus discípulos a ingerir os peixes que possuem escamas e barbatanas. Portanto, pescar também não é pecado. Ao contrário, é uma excelente atividade desestressante, que propicia paz de espírito, principalmente nos conturbados dias atuais. Quanto aos animais que vivem sobre a terra, a situação é outra. Diferente dos peixes, os animais sentem quando serão assassinados e transmitem toda a ansiedade e agonia da morte para a carne, o que é transferido para quem a ingere. No livro de Isaías c.66 v.3 está textualmente escrito: ‘O que mata um boi é como o que mata um homem’. Logo, aos olhos do ALTÍSSIMO, o que come a carne do boi é como o que come a carne do homem. Em Gênesis c.1 v.29 o SENHOR disse: ‘Eis que vos dei todas as ervas, que dão semente sobre a terra, e todas as árvores que encerram em si mesmas a semente do seu gênero, para que vos sirvam de alimento’. O alimento vindo diretamente da mãe terra é o mais saudável e salutar alimento que podeis introduzir em vossos corpos, pois se ingerirdes vida tereis vida, sereis radiantes; ao contrário, se ingerirdes morte sereis mortos espiritualmente, apagados, órfãos da luz divina. O primeiro passo do homem rumo à ascensão espiritual é a conscientização de que não deve matar ou ser conivente com o sofrimento e a morte de qualquer ser vivo a fim de alimentar o seu corpo”.

7) O que o Senhor diz sobre os espíritas?

INRI CRISTO: “A meu ver, e também no sentido lato da palavra, espírita é qualquer pessoa que tem consciência do espírito, do plano espiritual, da predominância do espírito sobre a matéria. Ou seja, espírita é todo aquele que sabe que o corpo físico é apenas um veículo usado para cumprir uma missão na Terra de acordo com os desígnios de DEUS, todavia o espírito vivificante é que permanece eternamente cumprindo o renovador ciclo evolutivo da reencarnação. Agora se convencionou, principalmente no Brasil, restringir as palavras ‘reencarnação’ e ‘espíritas’ a determinados grupos de pessoas seguidoras de algum médium ou guru adepto do chamado espiritismo. Na verdade, os termos ‘espírita’ e ‘reencarnação’, apesar de recentes, têm um significado eterno e universal. Reencarnação é o renascimento físico, retornar à carne; faz parte da lei perfeita e eterna de DEUS”.

8) É certo invocar espíritos?

INRI CRISTO: “Invocar os espíritos é um pecado muito grave. Quem invoca um espírito, consciente ou inconscientemente, está impedindo-o, prejudicando-o na trajetória que lhe foi destinada após o passamento. Ninguém tem o direito de perturbar os espíritos desencarnados; ao contrário, deixai-os seguir em paz. Da parte de meu PAI vos explico por que é pecado, prestai atenção. Por ocasião do falecimento, os espíritos que pecaram mais permanecem num plano inferior, pois o peso dos pecados impediu-lhes ascender a um plano mais elevado. Estes são as chamadas ‘almas penadas’. Quem os invoca assume parte do débito carmático que os impediu subir, tornando-se às vezes cavalgadura do encosto; eis que o castigo é inerente ao pecado. Se o encosto era viciado em bebida alcoólica, em drogas, em cigarro, então a cavalgadura passa a ser um bêbado, drogado, fumante. Já os espíritos que pecaram menos têm a faculdade de transcender a um plano superior; o pecado consiste em perturbá-los, prejudicando-os na ascensão. Na própria Bíblia está escrito: ‘Não se ache entre vós… alguém que indague dos mortos a verdade’ (Deuteronômio c.18 v.11). Em outra passagem do Antigo Testamento, o rei Saul procurou por uma necromante a fim de invocar o espírito do finado profeta Samuel, pelo que este irritou-se, dizendo a Saul: ‘Por que me inquietaste, fazendo-me vir cá?’ (I Samuel c.28 v.5 a 20). Quando um ente querido desencarna, no princípio é natural lamentar a falta de sua presença física. Todavia, mesmo no plano inconsciente, nesse momento também estais invocando o espírito desencarnado através do canal de pensamento. A fim de permanecerdes em paz e facultardes a paz ao falecido, aconselho-vos mudar o ambiente em que ele vivia, reajustar as posições dos móveis; assim ele conseguirá mais facilmente prosseguir seu destino. Agora que vos ensino a lei de meu PAI, em cujo bojo se inserem a imortalidade da alma e o item reencarnação, não há por que deixar-se arrastar pela tristeza face ao passamento de outrem nem invocá-los sob qualquer pretexto”.

9) Qual a sua opinião sobre cirurgias espirituais?

INRI CRISTO: “Assim como não é lícito aos olhos do ALTÍSSIMO invocar os chamados mortos, da mesma forma não se deve proceder a cirurgias espirituais quando o cirurgião necessita invocar um espírito. Aos olhos da medicina convencional, as chamadas cirurgias espirituais são consideradas charlatanismo. Na minha opinião, pelo que pude constatar através de rigorosas observações e do profundo estudo de sociologia a que meu PAI me submeteu, a maior parte dessa espécie de cirurgia é engodo, usam-se artifícios de ilusão de ótica tendo em vista o pressuposto de que o ser humano gosta de ser enganado. E nos casos em que existe uma cura, esta ocorre devido principalmente à fé do paciente, ao acionamento do laboratório interno que existe em cada ser humano, não à operação do suposto médico. Em verdade vos digo, meus filhos: todas as fraquezas e todas as enfermidades físicas têm sempre início na enfermidade da alma. A causa principal das doenças é o desequilíbrio energético da alma, os desequilíbrios emocionais; os males atormentam o corpo inicialmente no espírito. O antigo ditado: ‘alma sã, corpo são’ se constitui numa veemente realidade. Quem não odeia, não inveja, não sente ansiedade, não se entrega ao látego do stress e da depressão, não deseja mal ao próximo, enfim, os que dificilmente se deixam contaminar por sentimentos pequenos, mesquinhos, vingativos, esses têm reduzidas chances de contrair uma doença. Os seres humanos mais afortunados na face da Terra são os que reconhecem em seus próprios corpos o maior bem, a maior dádiva concedida pelo bondoso PAI Celeste, e consequentemente se esforçam em trilhar os preceitos da lei de DEUS no afã de manter uma vida saudável e honesta, livre de achaques e dores”. 

10) Se Cristo, na tradução do grego, significa “o ungido”, no singular, o que o Senhor acha dessas pessoas que dizem: “eu também estou desenvolvendo o meu cristo interno”?

INRI CRISTO: “São pessoas desinformadas. Basta consultar um filólogo e averiguar o significado da palavra ‘Cristo’. Na tradução do grego, ‘Cristo’ significa o ungido, no singular. Logo, não pode haver dois ‘Cristo’, tampouco é possível cada ser humano desenvolver seu ‘Cristo interno’. Creiam ou não, gostem ou não, eu sou o único Cristo ungido pelo ALTÍSSIMO. Pode-se, isto sim, desenvolver o lado divino, a espiritualidade, o intelecto. Já tive a oportunidade de ver diversos pseudo-esoteristas dizer “eu estou desenvolvendo meu cristo interno”. Isso é uma sandice, algo impossível, porque Cristo um só é. Eu sou Cristo, o único, porque meu PAI me ungiu há dois mil anos depois de haver sido batizado por João Batista e agora por ocasião do jejum em Santiago do Chile”.

11) O programa Fantástico da Rede Globo do dia 29/02/2004 divulgou uma matéria em que um membro da comunidade espírita de Uberaba – MG, Leonel Varanda, rompeu o sigilo de uma carta redigida em 10/06/1962 por Francisco Xavier. No documento, considerado o mais polêmico do espiritismo no Brasil, o finado líder espírita acusa o orador Divaldo Pereira Franco de plágio. Chico Xavier registrou no documento que muitos dos livros escritos por Divaldo eram plágios de suas obras, o que foi confirmado por um grupo de médiuns de São Paulo após minuciosa investigação e obviamente negado por Divaldo sob a alegação de “coincidência”. O que o Senhor pensa sobre esse episódio e qual a sua opinião sobre Divaldo Franco, considerado atualmente um dos principais expoentes da doutrina espírita no Brasil?

INRI CRISTO: “A princípio não externarei minha opinião a respeito de Divaldo Franco; deixo que os leitores formem seu próprio juízo a partir de um fato que exporei a seguir. Por ocasião do Ato Libertário que perpetrei no interior da catedral de Belém do Pará em 28/02/1982, após haver falado ao povo durante três horas (das 21:00h às 24:00h) na TV Guajará (canal 4 de Belém) na véspera da revolução, a opinião do público paraense dividiu-se quanto à minha identidade. Por aqueles dias, Divaldo Franco anunciava nos meios espíritas um evento a ser realizado num teatro de Belém. Eu estava já no cárcere quando soube pela televisão e pelo rádio que o povo o estava encurralando para que se pronunciasse sobre minha identidade, ou seja, se sou ou não o Filho de DEUS, o mesmo Cristo que crucificaram. E ele, como autêntico lobo revestido em pele de ovelha, com medo de perder o crédito dos espectadores, respondia invariavelmente sempre da mesma forma: depois da palestra eu me pronunciarei. Os jornalistas não lhe davam trégua: INRI CRISTO é ou não o Messias? Ele continuava a responder que só após a palestra se pronunciaria a meu respeito. A partir daí já é possível compreender a malandragem, a astúcia, a saga do velhaco. Ele conseguiu criar uma expectativa, lotando ainda mais o teatro onde promovera seu encontro com o povo. Finalmente, após o mencionado evento, jornalistas e populares caíram sobre ele cobrando uma resposta: afinal, INRI CRISTO é ou não é o mesmo Cristo que crucificaram? Foi então que o lobo removeu a pele de ovelha e se revelou. Como não mais precisava preocupar-se com a clientela e já vendera satisfatoriamente seus livrórios anacrônicos, disse em tom de voz que lhe é peculiar: ‘Não, Cristo está lá no céu! Este que aí está na prisão não é Cristo! Jesus Cristo jamais voltará aqui na Terra!’ Se ele deveras fosse servo de meu PAI, saberia quem sou e jamais procederia desta forma desonesta. Mas, ao contrário, ao invés de visitar-me no cárcere – donde saí sem depender de advogados – aproveitou justo o momento em que eu estava recluso para tentar denegrir minha imagem. Foi então que finalmente o povo do Pará pôde conhecer um charlatão sem máscara. Ele se mostra como benfeitor, mas a realidade é que mantém umas dezenas de crianças obviamente bem nutridas para, em nome delas, vender seus alfarrábios verborréicos aos seres humanos de bom coração, imitando as demais instituições pseudo-filantrópicas espalhadas Brasil afora que vivem na ostentação às custas das criancinhas desamparadas. Assim ele vive, viaja de uma cidade a outra, de um país a outro sempre bem engomado, sempre com o sapato brilhante e com aquela fala macia. E consegue seduzir os incautos que cruzam seu caminho. Agora que o caráter dele está exposto, aos conhecedores de sua verdadeira face cabe a faculdade de discernir se ele é plagiador ou não. Assim como já cacei o caçador de enigmas ilusionista Oscar Gonçalez Quevedo expondo em rede nacional a falsidade dos títulos que ostenta*, aproveito o ensejo desta pergunta para lançar o desafio a um encontro com Divaldo Pereira Franco numa televisão ao vivo, uma vez que ele me julgou enquanto eu estava no cárcere sem jamais haver estado comigo e sem jamais me haver facultado o direito de resposta. Ou ele preferirá pertencer à galeria dos lobos com pele de ovelha, donos de igrejas e de instituições pseudoreligiosas, mercenários da fé, que no dia do SENHOR virão dizer: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome, e em teu nome expelimos os demônios, e em teu nome operamos muitos milagres?’ e aos quais eu direi bem alto: ‘Não vos conheço, apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade’ (Mateus c.7 v.22 e 23)?”.

* Os títulos aos quais INRI CRISTO se refere são ‘padre’ e ‘parapsicólogo’. ‘Padre’, que na tradução do italiano e espanhol quer dizer pai, constitui-se num título falso em se pressupondo o que está escrito no Evangelho: ‘A ninguém chameis pai sobre a Terra, porque um só é vosso PAI, o que está nos céus’ (Mateus c.23 v.9). “Parapsicólogo” outrossim é um título questionável, pois Quevedo não é filiado à AIP – Associação Internacional de Parapsicologia (ou seja, é o mesmo que alguém se dizer médico e não integrar o Conselho Regional de Medicina).

12) A exemplo de Divaldo Franco, os líderes religiosos espíritas dizem que Cristo não voltará à Terra através de reencarnação, alegando que Cristo é um espírito evoluído e portanto não mais reencarnará; tão somente irá se manifestar em espírito a alguns médiuns no afã de transmitir sua mensagem. Como o Senhor se posiciona em face deste raciocínio?

INRI CRISTO: “A principal aberração, o principal equívoco, a principal mentira da doutrina espírita é dizer que espírito evoluído não reencarna mais. Reconheço que os que se arvoram em sucessores de Alan Kardec pregam a reencarnação como poucos o fazem. Aliás, o SENHOR DEUS, meu PAI, propiciou que eles existissem e se propagassem principalmente no Brasil no intuito de popularizar o conhecimento sobre a reencarnação, antes reservado a um restrito número de pessoas nos ambientes esotéricos desde que o imperador Justiniano, induzido por Teodora (cortesã que, usando seus atributos físicos, se fez imperatriz), suprimiu-a da doutrina cristã no século VI (ver Anais da História no livro DESPERTADOR 1ª parte). Mas quando chega a hora de reconhecer a reencarnação do Filho do Homem que vos fala, os abomináveis líderes espíritas escapam pela tangente sob essa infundada alegação de que Cristo é um espírito tão evoluído que não necessita mais reencarnar (não obstante algumas vezes faz uma visitinha aqui na Terra, ‘coincidentemente’ incorporando um ‘médium’ nos centros espíritas…). Ora, se um espírito evoluído não reencarna mais, o que vim fazer aqui na Terra há dois mil anos e por que prometi que voltaria para julgar a humanidade e estabelecer na Terra o Reino de DEUS? E como seria novamente reprovado, conforme eu mesmo havia previsto, se não reencarnasse, se não conhecesse de perto meus contemporâneos, principalmente esses que me negam? (Em Lucas c.17 v.25 a 35 está escrito textualmente: Segunda vinda de Jesus: ‘Mas primeiro – antes de seu dia de glória – convém que ele – Cristo – sofra muito e seja rejeitado por esta geração. Assim como foi nos tempos de Noé, assim será também quando vier o Filho do Homem…’). Lembrai-vos que eu disse quando me chamava Jesus: ‘Não julgueis que vim para abolir a lei ou os profetas; não os vim para abolir, e sim para os cumprir’ (Mateus c.5 v.17). Logo, se a perfeita e eterna lei da reencarnação faz parte do contexto da lei de DEUS, obviamente eu tenho que ser o primeiro a cumpri-la, ao contrário seria incoerente com minhas próprias palavras. Convém deixar bem claro que a maioria dos espíritas, assim como a maioria dos católicos, são pessoas bem intencionadas. O problema está nos líderes, lobos com pele de ovelha, que manipulam e encabrestam as ovelhas transformando-as em massa de manobra; obviamente, insistem em negar minha identidade, assim como fizeram há dois mil anos (‘Mas ai de vós, hipócritas, que fechais o Reino dos céus aos homens, pois nem vós entrais nem deixais que entrem os que estão para entrar’ – Mateus c.23 v.13). Vale lembrar uma vez mais o verdadeiro significado de minha missão aqui na Terra. Eu sou o libertador. Voltei a este mundo para libertar o meu povo do jugo dos falsos religiosos, dos grilhões da idolatria, da fantasia e da mentira. Amo a liberdade, por isto deixo livres os seres que amo. Se voltam, é porque me reconheceram e são meus filhos, dignos de meu PAI, SENHOR e DEUS, que é em mim. Se não voltam é porque jamais tiveram parte comigo”.

13) Sabe-se que o fundador da LBV, Alziro Zarur, durante muitos anos antes de seu falecimento bateu recorde em falar sobre a volta de Cristo na rádio onde trabalhava. Dizia sistematicamente: “Cristo voltará! Cristo voltará!”. Consciente sobre a realidade da reencarnação, ele fundou a LBV no intuito de receber Cristo quando retornasse. No entanto, Alziro Zarur desencarnou em 1978, antes ainda de o Senhor receber a revelação em 1979. Por que agora seus sucessores não reconhecem o Senhor como sendo o mesmo Cristo reencarnado?

INRI CRISTO: “Há dois mil anos, como bem relatam as Sagradas Escrituras, João Batista foi o precursor enviado por DEUS com a missão de preparar o povo daquela época para receber-me. Todavia, mesmo sabendo que eu era o enviado do SENHOR, ao invés de seguir-me e juntar-se ao Reino de meu PAI, ele insistiu obstinadamente em cultivar um reino paralelo ao meu. Quando estava no cárcere, enviou dois de seus discípulos a dizer-me: ‘És tu aquele que há de vir, ou devemos esperar outro?’ (Mateus c.11 v.3). Por este motivo o ALTÍSSIMO permitiu que ele fosse degolado e não inspirou o rei Herodes com sabedoria para esquivar-se do pedido de Salomé, filha de Herodíades (o rei Herodes disse à moça: ‘Tudo que me pedires, te darei, ainda que seja metade do meu reino’ – Marcos c.6 v.23). Ele reencarnou no mesmo século que eu reencarnei com esta missão de divulgar minha volta à Terra, mas por causa da justiça divina não pôde sequer conhecer-me; desencarnou antes que meu PAI revelasse minha identidade em 1979. O tempo passou e seus sucessores naturais afastaram-se dos excelsos ideais que levaram à fundação da LBV; a ambição subiu à cabeça de seu herdeiro, José de Paiva Netto, e dos que com ele compactuam. Construíram enormes templos e arrecadam fortunas em meu nome antigo, obsoleto (Jesus). Se optassem pela honestidade intelectual e reconhecessem minha identidade, teriam que abdicar as mordomias, o conforto material, as regalias sociais; eis por que é tão difícil e até desconfortável dizerem ao mundo que estou de volta e sou o mesmo de ontem, hoje e sempre. Um dia sei que virão a mim, mas então será também para eles tarde, tarde demais: a justiça divina resplandecerá. O látego do verdugo divino não tardará em visitá-los”.

14) O Senhor disse quando se chamava Jesus que onde houvesse ao menos duas pessoas falando em seu nome aí o Senhor estaria (“Porque onde se acham dois ou três congregados em meu nome, aí estou eu no meio deles” – Mateus c.18 v.20). Esse seria mais um argumento dos espíritas para alegar que o Senhor não voltaria à Terra através da reencarnação. Se agora o Senhor afirma ser Cristo reencarnado, como pode explicar isto sem contradição?

INRI CRISTO: “Deveras eu disse quando me chamava Jesus e continuo dizendo que, onde houver dois ou três falando em meu nome, aí estarei no meio deles. Quando um ser humano carrega dentro de si a convicção de minha identidade e consequentemente a consciência de que sou enviado de meu PAI, com o poder da palavra emanado de DEUS ele consegue emitir ao interlocutor uma chispa de luz divina e da felicidade oculta em seu interior, posto que só os apaixonados podem transmitir paixão. É como se ele fosse um pedaço de mim representando-me em diferentes lugares. E assim, sentirá a presença viva e veemente de meu PAI, SENHOR e DEUS, porque meu PAI e eu somos uma só coisa. Mas de maneira alguma isso implica que eu não possa estar reencarnado, renascido fisicamente. Ao contrário, minha presença na Terra de carne e osso vem a corroborar tudo que prometi há dois mil anos, mormente a promessa que fiz aos discípulos na última ceia: ‘Deste dia em diante não beberei mais do fruto da videira até aquele dia, em que o beberei de novo convosco no Reino de meu PAI’ (Mateus c.26 v.29). Uma vez que espírito sem corpo físico não bebe vinho, não há outra forma de bebê-lo senão quando eu já estivesse reencarnado. Portanto, para quem raciocina honestamente dentro da razão e da lógica, esse pseudoargumento de que eu não mais reencarnaria e só apareceria em espírito à humanidade está mais do que desmascarado. É muito fácil e cômodo dizer-se servo de Cristo, usar meu nome antigo, obsoleto (Jesus) e arvorar-se em dono das verdades absolutas (ou pelo menos em dono de uma das tantas verdades absolutas) para viver confortavelmente e receber honras às custas da credulidade alheia. Mas agora que eu voltei com um mandato divino imbuído da missão difícil de julgar a humanidade, justo esses que se dizem meus servos são obrigados a negar minha identidade, ao contrário estão fadados a perder a clientela e as regalias de um principado enfermo. Mais cedo ou mais tarde, os espíritas pensantes removerão os alienantes resquícios da doutrina espírita e virão a mim. Os centros espíritas esvaziarão; permanecerão só com os espíritos das trevas e com os esquizofrênicos amantes da fantasia e da mentira”.

15) O que o Senhor acha da doutrina espírita, ela tem uma visão mais ampla da reencarnação e dos ensinamentos de Cristo? No que ela difere de seus ensinamentos? Você já leu “Quando ele voltar” de Ricky Medeiros? (fala sobre a volta do Cristo no nosso tempo e reencarnando no Brasil)

INRI CRISTO: “A doutrina espírita está quase certa, tão somente os donos do cabresto não querem liberar as ovelhas, permitindo-as raciocinar livremente e vislumbrar que sou o Verbo reencarnado. O principal item que difere a doutrina espírita dos ensinamentos que ministro da parte de meu PAI é a questão de invocar espíritos, pois se trata de um pecado muito grave. Quem invoca um espírito, consciente ou inconscientemente, está impedindo-o, prejudicando-o na trajetória que lhe foi destinada após o passamento. Ninguém tem o direito de perturbar os espíritos desencarnados; ao contrário, deixai-os seguir em paz. Quanto ao livro em questão, apreciei, deveras é muito interessante, é uma ficção coerente, ainda que um tanto quanto exagerada.”

16) Um ano após o passamento de Chico Xavier, o programa Fantástico, em 29/06/2003, trouxe ao público a notícia de que, antes de falecer, ele revelara ao filho adotivo ser a reencarnação de Allan Kardec, fundador do espiritismo. Nesse mesmo domingo, o apresentador Gugu Liberato disse acreditar que ele deveras tenha sido Allan Kardec pois nunca em vida afirmara ser (obviamente insinuando que quem diz ser não é). Como o senhor se posiciona face a esta declaração, já que categoricamente afirma ser o mesmo Cristo crucificado há dois mil anos?

INRI CRISTO: “Qualquer pessoa que atualmente pensa assim em relação à minha identidade está também lançando dúvidas sobre a mesma identidade que ostentei há dois mil anos; não pode crer que eu tenha sido Cristo, o Filho de DEUS, afinal foi justamente por apresentar-me desta forma que os sacerdotes conjecturaram entre si a fim de obter o veredicto da crucificação. Os fariseus acusavam-me de blasfêmia por dizer que sou o Filho de DEUS (João c.10 v.36). Sob essa ótica, eu não poderia ter sido Cristo, pois dissera: ‘Eu sou a luz do mundo, a verdade e a vida. Eu sou o caminho; ninguém vem ao PAI senão por mim’ (João c.14 v.6). E também quando surpreendi os fariseus da época: ‘Antes que Abraão fosse feito, eu sou’ (João c.8 v.58), revelando ser o espírito mais antigo, o homem primordial – Adão. Agora é possível compreender por que duas vezes os produtores do programa Domingo Legal convidaram-me a participar e posteriormente desistiram do intento. O primeiro convite foi realizado nos próprios estúdios do SBT na ocasião em que eu fora entrevistado no Jô Soares Onze e Meia, no final de 1998. Alguns meses mais tarde, solicitaram que o repórter Rodolfo fosse recebido na sede provisória da SOUST em Curitiba. Ao contrário do que muitos pensam, eu não afirmo ser Cristo porque quero nem para obter benefícios pessoais, uma vez que não possuo nem jamais possuirei bens materiais. Enquanto estou no período da reprovação, sustentar minha identidade contra tudo e contra todos é um fardo, uma responsabilidade muito grande, a qual nenhum ser humano suportaria. Mas como estou cumprindo um mandato divino, não importa o que falam ou pensam; nem há dois mil anos consegui agradar a todos. A realidade avassaladora fala mais alto e será inevitavelmente conhecida por toda a humanidade. Há dois mil anos eu dissera aos discípulos que João Batista era o profeta Elias (obviamente reencarnado, renascido fisicamente – Mateus c.11 v.13). Logo, embora meu PAI não me tenha feito nenhuma revelação, não vilipendio a possibilidade de que o médium Chico Xavier realmente possa ter sido a reencarnação de Allan Kardec, independente de ele haver dito isso em vida ou não”.

17) A passagem bíblica de Mateus c.24 v.24 não anula a chance de o Senhor vir reencarnado? Quando o Senhor cita a sua reprovação pela humanidade não seria a reprovação de dois mil anos atrás?

INRI CRISTO: “Tudo que eu disse quando me chamava Jesus em relação ao meu retorno está se cumprindo e vai se cumprir rigorosamente. Todavia, é mister pedir ajuda e inspiração ao ALTÍSSIMO no afã de não se deixar enlamear pelo delírio esquizofrênico que permeia a cabeça dos energúmenos obstinados. Só as mentes doentias e fanáticas dos fariseus que se dizem crentes e evangélicos, que fatalmente vestem a carapuça de amebas, néscios, imbecis, acreditam que a passagem bíblica de Lucas c.17 v.25 a 35 poderia se referir ao tempo em que eu fora crucificado. Os seres pensantes, as cabeças que raciocinam, lerão o texto por inteiro e verão que estava me referindo ao porvir, ao meu retorno. Eis a versão transcrita por inteiro de uma Bíblia completa, tradução de Frei Matos Soares (Edições Paulinas), que eu considero a mais fiel (ou menos distorcida de todas as versões bíblicas). Lá está escrito textualmente: ‘Segunda vinda de Jesus: Chegará tempo em que desejareis ver um dos dias do Filho do Homem, e não o vereis. E vos dirão: ei-lo aqui, ou ei-lo acolá. Não vades nem o sigais. Porque assim como o clarão brilhante de um relâmpago ilumina o céu de uma extremidade a outra, assim será o Filho do Homem no seu dia. Mas primeiro é necessário que ele sofra muito e seja rejeitado por esta geração. Assim como foi nos tempos de Noé, assim será também quando vier o Filho do Homem: comiam, bebiam, tomavam mulheres e davam-se em núpcias, até o dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio, que exterminou a todos… Assim será também o dia em que o Filho do Homem se manifestar…’  Por enquanto ainda bebo de gole em gole a última porção do cálice amargo da reprovação, boa parte da qual proveniente da descrença, da indiferença, do ódio e da obstinação destes que se contentam em acreditar que eu poderia voltar à Terra voando igual a uma ave (talvez na intenção de imitar Superman), em violação a eterna e infalível lei estabelecida pelo CRIADOR (‘Tu és pó, do pó tu foste tomado e ao pó retornarás’ – Gênesis c.3 v.19). Na passagem bíblica de Mateus c.24 eu também me referia ao dia de glória do SENHOR; todavia, de todos os evangelistas, o único que teve o cuidado, a minúcia de registrar que eu seria novamente reprovado quando retornasse à Terra (obviamente de carne e osso sim) foi Lucas. Só este foi suficientemente honesto e não se deixou arrastar pelas asas da exaltação. A explicação a essas passagens é que, passado o período da reprovação, no dia de glória do SENHOR percorrerei o mundo inteiro a bordo de uma aeronave e não haverá como prever o local exato onde estarei, pois será tudo muito rápido: um dia estarei no Japão, outro na Rússia, outro na Índia… Basta raciocinar um pouquinho para compreender por que DEUS inspirou os cientistas a construírem o avião (a bordo do qual andarei sim sobre as nuvens) e a televisão (através da qual todo olho me verá – Apocalipse c.1 v.7) justamente no século em que reencarnei. E como o ALTÍSSIMO escreve direito mesmo por linhas tortas, todos esses que obstinadamente creem num ‘cristo’ vindo do céu congelado e nu (posto que os soldados romanos sortearam entre si minhas vestes) não fazem parte do meu rebanho (‘Pela minha voz o meu rebanho me reconhecerá e haverá um só rebanho e um só pastor’ – João c.10 v.4 e 16). E como voltei para separar as ovelhas das cabras, quem prefere acreditar nas abominações dos falsos profetas é porque deveras não tem parte com o Reino de DEUS. Aliás, os que optaram por servir aos falsos profetas (impostores que se autointitularam pastores sem a unção de DEUS) e lhes entregaram suas almas, estão me poupando do difícil trabalho de separá-los de minhas ovelhas”.

18) Chico Xavier foi um cristão de verdade?

INRI CRISTO: “Eu respondo por mim, não pelos outros. Eu sou Cristo, todavia, se ele foi ou não um cristão autêntico, caberia somente a ele te responder. Posso afirmar que durante o tempo de sua existência terrenal, ele soube de minha presença na Terra, todavia nunca veio me procurar para pedir uma bênção”.

DEIXAR UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

3 + 14 =