15 – Aborto, controle da natalidade, sexo, drogas, homossexualismo, matrimônio, educação dos filhos

1) Na sua opinião, por que a igreja católica se posiciona tão radicalmente contra o aborto e o controle da natalidade?

INRI CRISTO: “Mesmo que alguns ímpios, hipócritas malvados, canalhas, venham a pensar que os filhos do estupro morrerão de fome, conjecturando: ‘Deixem que nasçam, depois nós os veremos morrer de fome, de verminose, drogados, assassinados nas esquinas sociais…’, antes, porém, servirão aos propósitos dos abutres da proscrita igreja romana, que se utilizarão destes espectros humanos para tocar fundo o lado sensível dos corações das elites e chantagear proventos para manutenção da luxúria do sodomista e gomorrento principado de iniquidades, em substituição ao dízimo e ao decadente comércio de sacramentos falsos (todo e qualquer sacramento com preço é falso, desde que eu disse quando me chamava Jesus: ‘Dai de graça o que de graça recebestes’ – Mateus c.10 v.8). Unicamente as pessoas cruéis, mal intencionadas, estimulam a procriação desordenada e tentam inibir o controle da natalidade, uma vez que têm inconfessáveis intenções lucrativas e sobrevivem às custas dos miseráveis, pedindo esmola em nome dos pobres e das crianças desamparadas. É sórdido, asqueroso, difícil acreditar que haja seres humanos tão cruéis, tão perversos a ponto de se deleitar com a miséria, o desamparo e a fome dos pequeninos que nascem sem lar, sem teto. Só arrancando as vendas dos olhos vos será dado compreender que não são seres humanos e sim humanoides, espevôs (espermatozóides pseudo evoluídos), seres bestiais. Uma nota divulgada pela CNBB (Folha de São Paulo 30/08/1997) disse o seguinte: ‘Precisamos de gestos significativos da sociedade que nos levem a dar assistência às gestantes angustiadas vítimas de violências ou risco de vida, bem como amparo aos nascituros e nascidos que são abandonados e rejeitados’. Aqui está o verdadeiro (e sórdido) motivo da posição da CNBB contra o aborto e o controle da natalidade: a proscrita igreja romana quer continuar extorquindo e lucrando cada vez mais em cima da miséria e do sofrimento dos mais pobres. Aliás, é público e notório: mulher rica que deseja abortar não enfrenta problema. Basta recorrer a uma clínica particular e pagar a quantia requerida sem precisar dar motivo ou explicação (Programa Fantástico 24/08/1997). Neste caso, nem a CNBB nem suas matilhas de carolas ‘virtuosos’ mostram a menor indignação a respeito…”

2) Sendo assim, como fica a questão da “infalibilidade papal”?

INRI CRISTO: “A ‘infalibilidade papal’ trata-se de mais uma invencionice, um absurdo de Roma a fim de exercer o domínio sobre as massas e manter alienadas as mentes. Só meu PAI, SENHOR e DEUS é infalível; unicamente Ele, por ser perfeito, não erra jamais. Senão, vejamos, pois: quando da formação do ex-Zaire, no decorrer da guerra de independência, várias freiras belgas foram estupradas pelos soldados das ‘forças rebeldes’ e Paulo VI, o ‘papa’ da época, autorizou o aborto. Recentemente o mesmo aconteceu com freiras da Bósnia e João Paulo II recusou-lhes o direito de abortar. Será que um dos dois ‘papas’ é mais infalível que o outro? Ou será que a diferença de atitude reside no fato de que as freiras belgas foram estupradas por negros e as da Bósnia o foram por brancos? Acaso o problema não estaria no âmago do racismo?”

3) Como o Senhor se posiciona face à questão do aborto?

INRI CRISTO: “A princípio não sou a favor do aborto, mas, como vivo dentro da realidade, sou racionalmente a favor da vida; todavia, vida com dignidade. Meu PAI, SENHOR e DEUS disse: ‘Crescei e multiplicai vos…’ (Gênesis c.1 v.28). Mas, porque Ele é perfeito e abomina a imperfeição, não disse: ‘Crescei e multiplicai-vos desordenadamente’. Reconheço a necessidade da interrupção da gestação em determinados casos, entre os quais estupro e perigo de vida para a gestante etc., consciente de que a medicina vem de DEUS (Eclesiástico c.38). Se o ALTÍSSIMO inspirou os cientistas facultando lhes descobrir a anormalidade de um feto através da ultrassonografia, obviamente está indicando a imperiosa necessidade de interromper em tempo hábil a gestação a fim de que não nasça um ser imperfeito, outrossim se for detectado que o feto ceifará a vida física da mulher ao se desvencilhar do cordão umbilical. Enquanto o feto não é auto suficiente, não sobrevive independente da gestante, não representa uma vida, posto que o espírito só é acoplado ao corpo físico quando o nascituro aspira o primeiro hausto de ar vivificante. Não sou a favor do aborto, bom seria que ninguém pecasse. Agora, como a relação carnal é um hábito instituído, então, aborto em última instância é o único paliativo nas situações socialmente extremas (entre os males, o menor). Eu mesmo, antes de ser crucificado, adverti: ‘Se algum membro do teu corpo for motivo para escândalo, arranca-o e atira-o para longe de ti’ (Mateus c.5 v.29). Os integrantes da hierarquia do Vaticano não são estuprados. Ao contrário, conforme diversos artigos jornalísticos (Veja nº 1748, de 24/04/02, Época nº 192, de 21/01/02, etc.), eles são estupradores, geralmente de crianças… Mesmo se fossem estuprados, não correriam o risco de engravidar. É muito fácil e cômodo um arcebesta (‘arcebispo’) escudado em seu luxuoso palácio decidir que uma pobre mulher deve carregar em seu ventre o descendente de seu algoz estuprador”.

4) Qual o seu parecer sobre o ensinamento espírita segundo o qual já no momento da concepção ocorre a “instalação” do espírito, ou seja, mesmo nos primeiros instantes da fecundação o feto já seria considerado um reencarnante?

INRI CRISTO: “O espírito só se acopla ao corpo físico do nascituro no momento em que ele aspira o primeiro hausto de ar vivificante; enquanto o feto está na bolsa d’água da gestante, o espírito ainda não está acoplado, pois o espírito não vive na água, não se instala em meio à água. Neste caso, em verdade, o espírito nem poderia estar acoplado ao corpo físico, devido à impossibilidade de se sobrepor ao espírito da gestante. A energia que permite ao feto movimentar-se no ventre da mulher é a mesma energia que mantém o corpo em funcionamento enquanto estamos dormindo; essa é a energia que morre e se desvanece quando desencarnamos. Só o espírito permanece, não morre, não fenece jamais. Esta energia que move o feto está ligada ao espírito, porém não é o espírito. É semelhante à energia que movimenta os peixes. Estes, por exemplo, não possuem espírito; são movidos por uma energia hídrica, diferente da que move os animais que habitam sobre a Terra. Quanto ao pseudo-ensinamento espírita de que no momento da concepção (fecundação) já existe a instalação do espírito e que por isso o feto é considerado um ‘reencarnante’, assemelha-se a um dos pseudo-ensinamentos de Aristóteles, segundo o qual o objeto mais pesado cai mais rápido do que o mais leve. Apesar de considerado um dos grandes filósofos da Antiguidade, nesta questão Aristóteles foi desmentido por Galileu Galilei, muitos séculos mais tarde. O fato de uma doutrina (a exemplo da espírita) apresentar fragmentos da verdade não quer dizer que todos os seus ensinamentos sejam verdadeiros. O que vos digo, não digo de mim mesmo e sim como o PAI me instruiu e me revelou. Em verdade eu nada sei; unicamente Ele sabe, posto que Ele é o SENHOR da sabedoria e da verdade, cuja compreensão só faculta aos simples, aos humildes e aos puros de coração, aos que se despojaram do nefasto invólucro do orgulho, da arrogância e da prepotência, que impedem os seres humanos de vislumbrar as sutilezas da espiritualidade”.

5) Existe um meio de controlar as drogas?

INRI CRISTO: “Não se trata meramente de controlar e sim, embora a longo prazo, resolver definitivamente o problema. Deixemos de lado a hipocrisia, a sandice e a fantasia ao acreditar na possibilidade de eliminar o tráfico de drogas encarcerando traficantes e usuários, pois estes sobrevivem na cadeia e continuam agindo. Só quem não raciocina ou mantém uma venda nos olhos pensa desta forma. Em 1920, o governo dos EUA instituiu a chamada ‘Lei Seca’, que durou até 1933, no intuito de impedir a comercialização da bebida alcoólica. Ninguém podia ser flagrado comprando ou vendendo qualquer tipo de bebida alcoólica sob pena de sofrer as punições previstas por lei. Essa situação gerou a figura do traficante e o crescimento da máfia. O caso mais notório foi o de Alfonso Capone, mais conhecido como Al Capone, em Chicago, que exauriu na prisão vítima de sífilis por lhe haverem apanhado em sonegação de impostos. A única solução para as drogas é a que foi aplicada ao tráfico de bebida alcoólica nos EUA: a legalização com respectiva tributação. A solução mais inteligente e pacífica consiste em usar os traficantes como produtores e distribuidores de drogas, ao mesmo tempo em que são geradores de tributo. Os proventos da tributação devem ser empregados em amplas, rigorosas, explícitas e inteligentes campanhas publicitárias antidrogas, inibindo a geração de novos consumidores, outrossim esses mesmos recursos devem ser utilizados em recuperação de viciados. Dessa forma evitar-se-ia o surgimento de novos traficantes. O indivíduo que sobrevivesse da comercialização de narcóticos permaneceria acomodado, ganhando seu sustento legalmente. Consequentemente, por falta de incentivo, ninguém jamais se animaria a iniciar a empreitada de traficante, posto que se um dependente químico tem a possibilidade de adquirir a droga na farmácia da esquina, no laboratório ou até mesmo no supermercado, então não há por que oferecer a primeira dose gratuita, como acontece atualmente. O traficante existe porque ele ‘fabrica’ o cliente nas escolas, nos estabelecimentos públicos, nas boates, etc., geralmente onde se reúnem os jovens. Ele doa a primeira dose para fabricar o escravo. Todavia, se o traficante sabe que o escravo depois poderá comprar a droga legalmente, não há razão de produzi-lo. Daí por que a única maneira eficaz de anular, aniquilar o tráfico é a legalização. Ao menos cessaria o círculo vicioso: sempre novos traficantes nascem gerados pela clandestinidade em consequência da proibição. Não existe traficante de cigarros e de bebida alcoólica devido à possibilidade de adquiri-los facilmente. Assim seria com a droga. A legalização só não foi ainda viabilizada porque o interesse está em manter as pessoas alienadas. Existem altas figuras políticas e líderes que não só lucram com o tráfico como vivem dele, mantendo os legisladores inativos. O ex-presidente do Panamá, general Manoel Noriega, foi desmascarado e capturado pelo governo norte-americano em pleno exercício por chefiar o tráfico de drogas naquele país. No mundo inteiro autoridades constituídas prevaricam e se envolvem com o narcotráfico”.

6) Por que DEUS permitiu sua existência já que são maléficas ao organismo?

INRI CRISTO: “Já que nada acontece na Terra sem o consentimento de DEUS, Ele permitiu a existência das drogas posto que até elas têm um significado na natureza. Um exemplo é a folha da coca, da qual se origina a cocaína. Ela é utilizada na Bolívia para fins terapêuticos. Um viajante que passa por La Paz precisa ingerir o chá desta folha para não sofrer problemas cardíacos devido à altitude elevada (aproximadamente 4000 metros acima do nível do mar). Neste caso é uma planta benéfica, salutar para a saúde. A morfina é empregada como analgésico para pacientes em estado terminal, e assim por diante. Por outro lado, DEUS permitiu que o homem a utilizasse no sentido negativo, principalmente para ferir o orgulho da chamada alta sociedade. Imaginai o desgosto, o desprazer de um senador, um desembargador, enfim, um membro das elites ao deparar-se com o filho ou o neto roubando uma caneta de ouro de sua coleção, uma joia ou outro bem valioso para trocar pela droga. Assim ele vê que algo na sociedade está errado, que as leis são arcaicas, corruptas, iníquas e moribundas. Isto serve para sinalizar as doenças morais da sociedade contemporânea. Há o lado bom e o lado ruim; tudo depende da maneira como as drogas são utilizadas. Assim também acontece com a energia nuclear: tanto ela pode fornecer energia salutar como também destruir o planeta. A arma de fogo tanto pode ser usada para defender a própria vida como também para matar uma pessoa inocente. Tudo tem o lado positivo que vem de DEUS e o lado negativo proveniente do maligno. Vale dizer uma vez mais: se encontrardes algo na natureza que vos parecer errado, na verdade faz parte de um todo que está certo, porque a natureza foi criada por DEUS, meu PAI, que não erra jamais”.

7) O que o Senhor pensa a respeito do ato sexual? É pecado?

INRI CRISTO: “Tudo que fizeres que faz mal a ti ou a outrem é pecado. Tudo que fizeres que não faz mal a ti nem aos outros não é pecado. No que concerne à sexualidade, aos olhos de DEUS o sexo é salutar quando praticado para fins procriativos, como ocorre naturalmente entre os animais, pois o macho só busca a fêmea, e ela a ele, na época do cio. Fora deste período, eles se mantém distantes sexualmente, mesmo convivendo em harmonia familiar. No contexto ecológico, sem a interferência do ser humano, existe o equilíbrio demográfico, posto que a mãe natureza atua no controle das populações animais. Mas no caso dos seres humanos, cada um deve usar a faculdade do livre-arbítrio para decidir o que fazer de sua vida. Na condição de libertador, não proíbo ninguém de fazer qualquer coisa, nem mesmo praticar sexo. Tão somente instruo os que se aproximam de mim e solicitam orientação a fim de que vivam dentro da lei divina e tenham consciência do que é ou não pecado. Levai em consideração que os tempos atuais são aqueles aos quais me referi antes de ser crucificado: ‘Ai das grávidas, ai das que amamentarem naqueles dias… porque chegará dia em que bem-aventuradas serão as estéreis’ (Mateus c.24 v.19). Não posso ser hipócrita nem fazer vista grossa face à realidade. Perante a lei de DEUS, no contexto global contemporâneo é preferível adotar métodos contraceptivos a ‘fabricar’ crianças sem ter condições de alimentá-las e dar-lhes educação. Em verdade vos digo: foi o ALTÍSSIMO quem inspirou os cientistas a produzirem os anticoncepcionais no afã de conter a desordenada explosão demográfica no planeta, o que está tornando a vida na Terra cada vez mais insuportável. Assim sendo, já que não resta outra alternativa, recomendo principalmente aos jovens a se prevenirem, a buscarem orientação médica no que tange à proliferação das doenças venéreas, que é uma realidade não menos assustadora. A fim de evitar qualquer mau juízo sobre meus ensinamentos ou interpretações equivocadas, reitero uma vez mais: pecado é tudo o que fizeres que faz mal a ti ou a outrem. Tudo que fizeres que não faz mal a ti nem aos outros não é pecado”.

8) Então o Senhor não pratica sexo?

INRI CRISTO: “Quando jejuei em Santiago do Chile, DEUS me concedeu poder sobre a carne. Desde então já não tenho mais essas inquietudes inerentes aos seres humanos. Meu PAI deu-me consciência de que o sexo é uma energia sagrada; ela não deve ser jogada fora, desperdiçada, e sim utilizada para abastecer o cérebro e propiciar o êxtase da comunhão com DEUS. Meus discípulos também optaram por viver em pureza, almejando sobrepujar a escravidão da carne. A eles ensino a transmutar a sagrada energia do sexo através de oração, via coluna vertebral, a fim de alimentar o cérebro, facultando-lhes experimentar o paraíso. E porque a única árvore que dá vida é o sexo, aí se cumpre o que prometi há dois mil anos: ‘Ao que vencer darei a comer da árvore da vida, que está oculta no paraíso de meu DEUS’ (Apocalipse c.2 v.7). Quanto aos seres humanos que vivem fora do regime eclesiástico, não aconselho a deixar de praticar sexo por ser muito difícil. Alguns já tentaram e não conseguiram. Numa certa altura, a pressão social obriga que se volte a praticá-lo. É como num jogo de futebol: o time que conta com mais torcedores tende a vencer e o que tem menos torcedores tende a perder. Assim também, quando se vive num ambiente social onde todos fornicam, torna-se quase impossível remar contra a maré”.

9) Sendo assim, por que a maioria dos seres humanos busca o prazer na prática do sexo?

INRI CRISTO: “Os seres humanos vivem no erro e na ignorância porque não têm consciência do pecado, não têm consciência de DEUS, não o ‘deus’ que os homens fizeram e sim o DEUS que fez os homens, meu PAI, Supremo Criador e único SENHOR do Universo. Os espíritos das trevas, objetivando o aumento numérico de seus escravos, enganam os seres humanos fazendo-os crer que o maior prazer da vida está em praticar sexo. Equivocados, pensam assim por jamais haverem conhecido algo incomparavelmente mais prazeroso do que a prática do sexo, que é a simbiose com o ALTÍSSIMO, meu PAI, SENHOR e DEUS. Quando o ser humano adquire consciência de DEUS e descobre o gozo do amor de DEUS, só então percebe e sente que não há nada mais sublime do que essa doce e mística comunhão. Entretanto, quem leva uma vida meramente materialista como sucede à grande maioria dos seres humanos do mundo profano, não pode contemplar os mistérios e as sutilezas da espiritualidade. Assim podeis compreender por que eu disse quando me chamava Jesus: ‘O que não for como estes pequeninos, não pode entrar no Reino de DEUS’ (Mateus c.19 v.14). Isso não significa que necessitais diminuir o tamanho de vosso corpo físico e sim que deveis voltar, em vosso interior, em vosso íntimo, ao estado de pureza peculiar às crianças. É mister cultivar o coração puro a fim de viver em paz e obter a força gerada pela inocência de uma criança. DEUS concede esta força aos que vivem em pureza. Ao contrário não se pode viver em paz, que é a maior expressão do poder espiritual. A paz é uma força tão grande que muitos lutam, guerreiam e até morrem por ela. Os seres humanos vivem inquietos, angustiados, ansiosos, tristes e insatisfeitos, estão sempre em busca por ignorarem algo que adormece dentro deles mesmos: o elo com DEUS, meu PAI. Agora que voltei para instituir na Terra o Reino de DEUS, tenho a missão de reconduzir os seres humanos ao caminho da espiritualidade, ensiná-los a viver em paz e harmonia no Éden, que se situa na cabeça de cada ser humano que busca viver em simbiose com DEUS”.

10) O Senhor pode explicar-nos no que consiste o pecado original, já que afirma ter sido o primeiro homem, Adão?

INRI CRISTO: “No Gênesis está escrito que DEUS criou Adão e Eva, o primeiro homem e a primeira mulher, e os colocou no paraíso. Advertiu-os, porém, a não comerem do fruto da árvore da vida, que estava no meio do paraíso. A serpente seduziu-os e ambos comeram do fruto da árvore da vida indevidamente. E como a única árvore que gera vida é o sexo, logo, para quem raciocina, eles praticaram sexo. O paraíso de que foram expulsos não é um lugar paradisíaco pleno de frondosas árvores frutíferas e sim o estado de pureza e inocência em que viviam enquanto não haviam fornicado. Desde então a mente de cada um deixou de ser um paraíso e passou a viver num inferno, onde existe a malícia, a maldade, o ódio, o ciúme, e principalmente a mentira, todos gerados pelo pecado da fornicação. Este foi o pecado original. Todavia, DEUS já sabia que assim sucederia e permitiu a descida espiritual do ser humano justamente para que, do fundo do poço, galgasse a transcendente escada evolutiva rumo à elevação espiritual, à divindade, todavia dotado da faculdade do discernimento, consciente do bem e do mal”.

11) Como o Senhor vê a banalização da sexualidade nos meios de comunicação?

INRI CRISTO: “A banalização da sexualidade é a principal causadora da procriação desordenada e consequente explosão demográfica, caracterizando a volta aos tempos de Noé e de Sodoma e Gomorra (‘Mas primeiro é necessário que ele sofra muito e seja rejeitado por esta geração. Assim como foi nos tempos de Noé, assim será também quando vier o Filho do Homem. Comiam e bebiam, tomavam mulheres e davam-se em núpcias, até o dia em que Noé entrou na arca e veio o dilúvio, que exterminou a todos. Como sucedeu também no tempo de Lot; comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam. Mas no dia em que Lot saiu de Sodoma, choveu fogo e enxofre do céu, que exterminou a todos. Assim será no dia em que se manifestar o Filho do Homem’ – Lucas c.17 v.25 a 35). Outrossim, é um dos prenúncios do fim do mundo e de minha presença na Terra, pois eu disse aos discípulos que só retornaria quando a humanidade estivesse nessas condições, carecendo de minha presença. Já há dois mil anos meu PAI mostrou-me este terrível destino; eis por que enunciei antes de ser crucificado: ‘Ai das grávidas, ai das que amamentarem naqueles dias. Bem-aventuradas serão as estéreis’ (Mateus c.24 v.19). E ainda disse quando caminhava em direção ao Calvário: ‘Mulheres de Jerusalém, não choreis por mim, guardai vossas lágrimas para vossos filhos. Porque eis que virá tempo em que se dirá: ditosas as estéreis e ditosos os ventres que não geraram e os peitos que não amamentaram’ (Lucas c.23 v.28 e 29). Esses dias que mencionei são os tempos atuais. Crianças estão produzindo crianças e a mortalidade infantil se faz sentir de forma mais veemente do que nunca nos países subdesenvolvidos e em conflitos bélicos, devido principalmente ao anormal crescimento demográfico”.

12) O divórcio é lícito aos olhos de DEUS?

INRI CRISTO: “Há dois mil anos, quando interrogado pelos discípulos se era lícito a um homem repudiar sua mulher, respondi-lhes que não deve o homem separar o que DEUS juntou (Mateus c.19 v.6). O SENHOR autorizara, nos tempos de Moisés, a dar carta de divórcio devido à dureza dos corações, porque o maligno endurece o coração do ser humano a ponto de não suportar a presença do parceiro que outrora escolhera para conviver. Mas nos tempos atuais, em que o casamento se transformou meramente num contrato, o divórcio é salutar quando duas pessoas já não se amam, não são felizes juntas e nada mais têm em comum, enfim, não comungam harmoniosamente com DEUS. É preferível a separação a viver sob o mesmo teto guardando ódio no coração, um maltratando ao outro, proferindo calúnias recíprocas. Todavia, as consequências sempre se fazem sentir nos descendentes, que ficam desorientados, desamparados, órfãos da proteção familiar. Daí nasce a máxima de que se casamento fosse bom não necessitaria de testemunha. Na verdade é uma instituição falida; antes inexistisse casamento e não haveria por que se divorciar. Hoje os nubentes casam-se com festa, banquetes, tapetes vermelhos, fogos de artifício para amanhã comparecer a um tribunal no deprimente espetáculo de lavagem de roupa suja. Estes não estão unidos por DEUS, pelo amor matrimonial, e sim por se sentirem pressionados pelas regras da sociedade. Um casamento que carece de divórcio não foi realizado com a anuência de DEUS e sim por interesses escusos. As pessoas que se amam verdadeiramente e foram unidas pela bênção do ALTÍSSIMO vivem 30, 40, 50 anos juntos e jamais se separam. Se for realizado um levantamento entre todos que lutam nos tribunais pedindo divórcio, analisando psicologicamente a realidade de cada um, constatar-se-á que não se casaram por amor e sim por uma paixão repentina ou por ambições socioeconômicas”.

13) Como o SENHOR vê o casamento realizado em sua antiga igreja, a católica romana? Tem validade perante DEUS?

INRI CRISTO: “O ritual do casamento realizado pela proscrita igreja romana é uma hilariante e macabra comédia, teatro do absurdo. Senão, vejamos, pois: primeiro os nubentes precisam frequentar um curso a fim de aprender como proceder na vida matrimonial, curso este ministrado por sacerdotes que nunca casaram, não têm qualquer experiência nesse sentido. Na sequência, após uma interminável ladainha de frases inúteis, o sacerdote pergunta se um aceita ao outro. Ora, se eles já fizeram o curso, trouxeram os convidados, contrataram banquetes, compraram os foguetes, pagaram pela prestação do serviço, planejaram a viagem de núpcias e finalmente estão lá ajoelhados justamente para receber uma bênção nupcial, não há por que lhes fazer este tipo de pergunta. Além disso, desde que a igreja romana passou a estipular preço para qualquer sacramento, incluindo o casamento, deixou de ter validade perante meu PAI, SENHOR e DEUS, posto que eu disse há dois mil anos: ‘Dai de graça o que de graça recebestes’ (Mateus c.10 v.8). E ao final da cerimônia, para arrematar o arsenal de contradições, se os sacerdotes realmente fossem meus servos jamais se comportariam como ave de mau agouro, lançando sobre eles a macabra sentença de morte: ‘Até que a morte os separe’. Ao menos saberiam que a morte não existe, posto que no bojo da lei de DEUS está a eterna e perfeita lei da reencarnação. Quem tem consciência da lei divina não teme morrer, sabe ser apenas uma etapa da vida. Quando dois espíritos se afinam não precisam de aliança no dedo, pois sua aliança está no espírito, no coração; há uma natural cumplicidade entre os dois. Até os chamados ‘padrinhos’ fazem parte do embuste, são desnecessários para aconselhar o casal porque unicamente DEUS é o PAI. Ele envia os anjos do céu a fim de inspirar os cônjuges nos momentos difíceis. Quando a união tem a bênção de DEUS, nada, nem mesmo o que chamam morte, faz o vínculo deixar de existir. Mesmo após o passamento de um dos cônjuges, as almas continuam afins”.

14) Como se realiza o casamento em sua igreja, a SOUST?

INRI CRISTO: “Na casa de DEUS não se estende tapete vermelho nem se toca trombeta, muito menos se vende qualquer sacramento. Na SOUST todos os sacramentos são gratuitos, incluindo a bênção nupcial. Tudo é feito com simplicidade. Meu PAI determinou que proferisse as seguintes palavras para abençoar os nubentes: ‘Em nome de meu PAI, em meu nome e do Espírito Santo eu vos abençoo para que, unidos no amor, em harmonioso complemento recíproco, permaneçais juntos para sempre. E que a paz reine entre vós e vossos descendentes’. Assim realizo os casamentos das pessoas que realmente se amam e pedem uma bênção nupcial. Verdadeiramente unidos por DEUS, estes jamais se separam”.

15) E a poligamia? Por que muitas pessoas sentem necessidade de “trair” o parceiro?

INRI CRISTO: “Neste caso, traição é uma questão de cultura, pois existem povos cuja tradição permite contrair núpcias mais de uma vez. A bem da verdade, sendo a poligamia natural na maioria dos animais, o ser humano, oriundo recentemente desta condição, às vezes necessita regressar às origens, deixando aflorar os instintos bestiais. É então que se sente impelido a procurar por outro parceiro. Quando passa a praticar sexo e não tem formação e preparação dentro da lei de DEUS, enfim, estando desprovido do equilíbrio espiritual, o ser humano corre o risco de voltar à condição primitiva, pois o sexo mal conduzido e degenerado transforma-se num ato bestial. O maligno incorpora no infeliz e o faz sentir desejo carnal por mais de uma pessoa. Atualmente, isso tornou-se um ato banalizado mesmo entre os povos anteriormente monogâmicos”.

16) O Senhor considera o controle da natalidade uma medida adequada para deter a explosão demográfica?

INRI CRISTO: “A bem da verdade, a medida mais eficaz e adequada para deter a explosão demográfica seria deixar de fornicar, voltar ao estado de pureza. Entretanto, considerando que a fornicação tornou-se um vício instituído, necessário faz-se tomar outras atitudes enérgicas a fim de evitar as consequências desastrosas que o desordenado crescimento populacional provocará no porvir. Dentre os males, que prevaleça o menor. Antes precaver-se de métodos contraceptivos e adotar uma medida regulando o número de descendentes a ver pessoas disputando um pedaço de carne humana para comer. Infelizmente, a educação dos seres humanos está voltada para o ‘aqui agora’, centrada nos prazeres e satisfações imediatas; não foram ensinados a vislumbrar o porvir, não só em relação a sua própria existência como também em relação às gerações vindouras. Vivem equivocados pensando que o maior feito de suas vidas está meramente em procriar. As larvas, os mosquitos, as aranhas, os répteis rastejantes, as aves, os porcos, os cães, os camelos, enfim, todos eles procriam. Logo, procriar não é uma grande e honrosa obra digna de exaltação. Em verdade, em verdade vos digo: a meta mais sublime do homem, o cume da realização humana é a união, a comunhão, a simbiose com DEUS, transcender a matéria rumo à espiritualidade. Vossos descendentes são fruto da necessidade biológica de perpetuação da espécie. Porém eles não são vossos, não vos pertencem. A maior prova disto vós mesmos podeis atestar. Certamente sabeis que Galileu Galilei foi um grande astrônomo italiano; Thomas Edison, o descobridor da energia elétrica; Santos Dumont, considerado ‘pioneiro da aviação’ no Brasil; Albert Einstein, um dos mais notórios cientistas de todos os tempos. Agora vos pergunto: acaso sabeis quem foram ou quantos foram seus descendentes? Qual o nome deles? Eis aí a prova de que o valor de um homem ou de uma mulher está nas obras que realiza e não na capacidade reprodutiva, porque o tempo passa, os homens passam e as obras ficam”.

17) Não seria uma contraposição à determinação divina “crescei e multiplicai-vos”?

INRI CRISTO: “Conforme a narração bíblica, quando os seres humanos surgiram sobre a face da terra, DEUS disse-lhes: ‘Crescei e multiplicai-vos, povoai a terra’ (Gênesis c.1 v.28). Ele não ordenou que se multiplicassem desordenadamente, tampouco determinou que povoassem o espaço atmosférico. Prova disto é que na mesma Bíblia consta a ira divina quando os homens construíram a Torre de Babel. Logo, é uma flagrante violação à lei divina quando os homens se multiplicam a ponto de necessitarem construir arranha-céus para povoar o espaço. Imaginai quantas Torres de Babel foram erigidas nos últimos dois mil anos! Se fosse para fazer cumprir a vontade de DEUS, meu PAI, construir-se-iam apenas casas térreas, com não mais de três andares. Ademais, o SENHOR disse para povoar a terra. Ele não disse depredai a terra, destruí a natureza, contaminai os rios, sujai a atmosfera, desequilibrai a ecologia, eliminai a vida nas florestas. Os seres humanos é que, vilipendiando as dádivas concedidas pelo CRIADOR, comportam-se de forma irracional. E o castigo é inerente ao pecado. A mãe natureza emite seu gemido de dor e reage em forma de terremotos, inundações, tempestades, pestilências, erupções vulcânicas, gerando fome, miséria, devastação”.

18) Como o Senhor explica que se tenha multiplicado exageradamente o número de seres humanos na face da Terra, sendo que há dois mil anos não havia nem metade da atual população mundial? De onde vieram essas almas, onde estavam anteriormente?

INRI CRISTO: “Todas as almas que existem atualmente já existiam há dois mil anos. A diferença é que antes habitavam nas selvas e agora habitam no recinto da cidade, ou seja, na selva de pedra. Em consequência da explosão demográfica e destruição do habitat ecológico, os animais passaram a reencarnar precocemente num invólucro carnal parecido com o humano, devido à insuficiência de espíritos evoluídos à condição humana para reencarnar. Esta é a reação, o gemido de dor da mãe natureza face à violação da lei divina. O castigo ao ser humano por haver fornicado e procriado desordenadamente é que agora vê-se obrigado a conviver com seres bestiais disfarçados de humanos. Muitas vezes ouvis dizer de pessoas que se comportam como animais bestiais. Quando alguém estupra, mata, esquarteja uma vítima, dizem: ‘Ah, mas ele é um animal, que desalmado!’ Em verdade vos digo: por alguns momentos aquele espírito deixou aflorar o instinto selvagem que o fez regressar à condição bestial, comportando-se como uma fera. É uma besta disfarçada em corpo humano. Um exemplo recente que teve notoriedade na mídia foi o caso do maníaco do parque em São Paulo. Às vezes inesperadamente se manifestavam os instintos selvagens e ele praticava crimes hediondos. Tudo isso é cruel, chocante, mas é a realidade que o SENHOR, meu PAI, me mostrou”.

19) Qual é sua opinião a respeito da homossexualidade?

INRI CRISTO: “A opção sexual de cada ser humano é uma questão de foro íntimo; ninguém tem o direito de interferir. E meu PAI, SENHOR e DEUS me revelou que o ápice da evolução espiritual passa necessariamente pelos estertores da carne. Tão somente sou contra a apologia de qualquer tipo de conduta no que se refere à orientação sexual, seja ela qual for. Cada um deve resolver suas inquietudes carnais entre quatro paredes. Não considero salutar que fiquem tocando trombeta em público na hora de deixar aflorar seus instintos. Neste caso, reitero uma vez mais: tudo o que fizeres que faz mal a ti ou para outrem é pecado. Tudo que fizeres que não faz mal a ti nem aos outros não é pecado. Particularmente, não tenho inquietude sexual, pois não vivo como homem no mundo. DEUS me deu poder sobre a carne e autoridade para estender este poder. Por isso ensino meus discípulos a viver em pureza. Aos que me questionam ensino o que é agradável aos olhos de meu PAI, pois se dependesse de mim, todos viveriam em pureza. Todavia, em cada cabeça, uma sentença. Quem está no mundo é pressionado a seguir os padrões sociais, que impõem a necessidade de fornicar. Os espíritos das trevas enganam os seres humanos fazendo-os crer que a consumação do sentimento amoroso está na prática da fornicação, independendo de ser ou não um relacionamento homossexual. No que concerne à Bíblia, o homossexualismo feminino não é mencionado; o masculino, não obstante, o é (‘Não te aproximarás de um homem como se fosse mulher’ – Levítico c.18 v.22). O ser humano é dotado de livre-arbítrio, que lhe faculta o inalienável direito de decidir o que fazer de seu corpo. Cada um deve saber se comportar. Em cada cabeça há uma sucursal do Santo Tribunal Celestial com um juiz de plantão. Este ditará a sentença de acordo com a consciência e o conhecimento do titular sobre a lei de DEUS. Logo, se fizeres algo a teu corpo que não faz mal a ti nem aos outros não é pecado. Mas se perceberes haver praticado algo que te fez mal, se porventura perdurar um melancólico vazio em teu interior, um sentimento de angústia e depressão após o ato, então cometeste um pecado. Da minha parte, não discrimino os homossexuais, eu os amo a todos, porque na luz de meu PAI, SENHOR e DEUS, que é em mim, amo todas as criaturas que se movem sobre a terra. E justo porque os homossexuais são discriminados pela sociedade, eles têm mais facilidade de compreender minha condição”.

20) Qual a melhor maneira de educar os filhos?

INRI CRISTO: “O bom jardineiro é aquele que, na hora certa, poda as plantas, facultando-lhes crescer e produzir belas flores e abundantes frutos. Da mesma forma deve a genitora, como boa jardineira, podar, ou seja, corrigir os descendentes desde a tenra idade para que, quando adultos, sejam cidadãos corretos e exemplares. É mister que a genitora sempre aplique a correção disciplinar adequada na hora certa. Nas Sagradas Escrituras há instruções salutares, ministradas há milhares de anos, acerca da educação dos filhos (‘A loucura está ligada ao coração do menino, mas a vara da disciplina a afugentará’ – Provérbios c.22 v.15 / ‘Não poupes a correção ao menino…’ – Provérbios c.23 v.13 e 14). Isso faz parte da perfeita e eterna lei de DEUS; mesmo daqui a centenas de anos essa será a forma mais salutar de educar os descendentes. Todavia, a genitora nunca deve aplicar a disciplina com ódio ou raiva no coração, sob pena de cometer exageros e, consequentemente, estar infringindo a lei divina, pois jamais se deve odiar quem quer que seja. Ao contrário, deve olhar os descendentes com amor, tendo sempre em mente que só os está corrigindo para que sejam pessoas decentes e cresçam na senda da sabedoria. É DEUS quem permite o nascimento dos seres humanos no mundo, mas os genitores são os responsáveis pela sua educação e formação, eles têm a missão sagrada de educar. Várias genitoras que me pediram ajuda e aplicaram o método disciplinar adequado posteriormente vieram agradecer-me. Na condição de Pai da humanidade, sou educador. Todas as crianças que eduquei até hoje (a maior parte através das genitoras) estão longe dos vícios e do crime; enfim, vivem harmoniosamente. Há dois mil anos eu mesmo disse ao discípulo João: ‘Eu, aos que amo, repreendo e castigo. Tem, pois, zelo, e faze penitência’ (Apocalipse c.3 v.19). Quando a genitora sabe disciplinar, com um olhar ela diz o que o descendente pode ou não pode fazer. As crianças educadas são sempre bem-vindas e demonstram a probidade dos genitores. Ao contrário, os filhos indisciplinados denotam o desleixo e displicência dos que os criaram. Toda mulher que tolera os defeitos dos descendentes e não os corrige em tempo hábil merece visitá-los na prisão”.

21) Como o Senhor vê os métodos modernos de educar?

INRI CRISTO: “Qualquer pessoa que negligenciar a educação dos filhos está traindo a lei de DEUS. Quem ensina que não se deve educar as crianças com a vara da disciplina na verdade tem intenções ocultas em fabricar seres degenerados, futuros clientes. Do que viverão os psicanalistas e psicólogos desonestos, quem lhes trará lucro se todos os genitores souberem educar seus descendentes pelo método antigo, que é o mais eficaz? Eles necessitam ensinar que não se deve corrigir as crianças a fim de deixá-las crescer desgovernadas, desorientadas, desequilibradas. Já os profissionais honestos que lidam com a alma humana concordam comigo e até se tornam meus amigos. Toda essa loucura que se vê hoje em dia através da televisão decorre em função da educação desvirtuada degenerativa. A voz do povo, inspirada por DEUS, diz: ‘é de pequenino que se torce o pepino’. Isso não só está correto como também faz nascer um vínculo muito forte entre descendentes e genitores. Quando estes são rigorosos na disciplina, os descendentes se sentem protegidos, pois sabem, intuem que alguém os está guiando no bom caminho. Quem dentre vós, sendo de boa índole, não agradece de coração haver sido disciplinado corretamente na infância pelos genitores?”

22) Infidelidade (traição conjugal) é falta de amor próprio? Como INRI se coloca diante disso? (Emerson – São Carlos/SP)

INRI CRISTO: “A princípio, a infidelidade conjugal pode aparentar falta de amor próprio, uma vez que a pessoa terá que conviver com a lembrança de que um dia traiu a quem amava. Isso afeta sim o interior, o brio, o caráter do ser humano. Todavia, nesse caso, há outros fatores que predominam, como por exemplo, a natureza volúvel da carne. Durante os longos anos que fui consultor metafísico, dez anos antes da revelação de minha identidade que culminou com a alteração de minha vestimenta – quando assumi, por ordem de meu PAI, SENHOR e DEUS, a indumentária de há dois mil anos – conheci todo tipo de gente… Conheci mulheres que amavam seus maridos profundamente, com todas as suas forças, no entanto, numa determinada situação imprevisível foram tocadas por outro cavalheiro… E porque a carne é fraca, como eu disse há dois mil anos (Mateus c.26 v.41 e Marcos c.14 v.38), acabaram cedendo, sucumbindo à fraqueza concernente. Após aquele envolvimento continuavam amando seus cônjuges, sentiam-se arrependidas, envergonhadas, porém, já era tarde… Outrossim, conheci mulheres que se acostavam com dois, três ou mais homens numa noite, a exemplo de Messalina, esposa do imperador romano Tibério Cláudio. Ela saía durante a noite disfarçada, despojada das vestes reais e se encontrava com vários homens, voltando para o palácio insatisfeita, frustrada. Portanto, não eram meretrizes, não queriam dinheiro; eram mulheres vítimas de transtorno psíquico sexual, mulheres “vale tudo”. O ser humano “vale tudo” é um outro lado a se considerar, seja mulher ou homem, que socialmente é em geral qualificado como psicopata. Mas não é necessariamente um psicopata como definido no catálogo psiquiátrico, que mata, rouba, assassina, tortura sem peso na consciência. O termo “vale tudo” a que me refiro qualificaria um indivíduo que não se preocupa, que não sente culpa diante de uma infidelidade ou outro delito. Obviamente, os seres humanos que vivem assim pagam um preço muito alto, pois no “vale tudo” inclui-se ficar grávida, contaminar-se com doenças venéreas, sucumbir vítima de crime passional… são riscos que todos correm quando têm essa vulnerabilidade de caráter. Ademais, a mulher que pensa antes de dizer não já está perdida. Hoje em dia, quando um homem convida uma mulher para jantar, já é praxe no menu um encontro na alcova. Claro que ninguém gosta de se olhar no espelho e dizer: “sou um traidor” ou “sou uma traidora”. Logo, não é uma questão de falta de amor próprio, e sim de incapacidade, fraqueza, insegurança… Considerando a natureza psíquica, diversificação de caráter, personalidade, o amor-próprio nessa questão é a última coisa que conta. Tem mais a ver com a tentação, como no caso dos obesos, que são assediados pelos espíritos trevosos da gula no sentido de viver para comer, e não de comer para viver. Às vezes a pessoa se ama bastante, mas não tem força para cultivar, conservar o amor-próprio. Por fim, no caso da infidelidade a palavra-chave é falta de autocontrole, em consequência da fraqueza mental, de caráter.”

DEIXAR UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

cinco − cinco =