INRI CRISTO dá bênção à seleção brasileira – por Diário de S. Paulo

Matéria de José Eduardo Martins e Lucas Bettine, publicada em 23/06/2014 na versão impressa e no site www.diariosp.com.br:

diario-de-sao-paulo-23-06-2014-1
Clique na imagem para ampliá-la

Como a fé não costuma falhar, não custa dar uma mãozinha para a seleção brasileira trazer o hexacampeonato. Antes de a equipe do técnico Luiz Felipe Scolari enfrentar Camarões, nesta segunda-feira, em Brasília, a reportagem do DIÁRIO levou uma camisa canarinho para INRI Cristo, que se autoproclama o filho do Pai, benzer.

A tarefa, porém, não foi tão simples quanto pode parecer. Primeiro, marcamos o encontro por meio das discípulas do profeta. Como era sábado, só poderíamos chegar à chácara da Soust (Suprema Ordem Universal da Santíssima Trindade), localizada na região rural de Gama, após o pôr do sol.

Guiados pelo taxista Romildo Barbosa, que no início pensou se tratar de uma pegadinha e até chamou INRI de “Henri”, deixamos a Capital Federal. Tivemos de fazer uma longa peregrinação, afinal, a “Casa do Senhor” não estava no GPS.

Lá chegando, fomos recebidos pelos discípulos, que nos entregaram uma descrição das regras a serem seguidas para nos encontrarmos com INRI, além de livros sobre a sua trajetória e uma explicação para o fracasso da Espanha na Copa. “O motivo principal foi a abdicação do monarca (Rei Juan Carlos) do poder”, escreveu.

Sentados ao fundo do salão, pois as mulheres ficam nos assentos à frente, vimos INRI surgir após uma cortina ser aberta. “Que a paz esteja com todos. Oh Pai, eterno e inefável, Deus infalível criador do Universo…”, discursou o profeta.

Apesar de ter “a consciência universal” e não torcer por time algum, INRI não escondeu o carinho pela seleção. “Desejo de coração e peço ao Pai que o melhor seja para o Brasil”, confessou ele, que considera a língua portuguesa o neo-aramaico e Brasília, a Nova Jerusalém.

INRI não queria segurar a camisa da seleção. Após muita insistência, porém, rendeu-se e pediu para uma discípula segurar o manto à sua frente. Missão cumprida. Se depender da fé, o hexa é nosso.

ENTREVISTA

DIÁRIO_ O senhor gosta de futebol? Qual a sua relação com o esporte?

INRI CRISTO_ Na verdade, considero importante todo e qualquer esporte que faça bem à saúde física e mental. Quando o futebol é tão somente esporte como os demais, ele é salutar. Todavia, quando o futebol ou qualquer esporte se torna instrumento de chantagem, violência, morte e agressão, quebrando a harmonia, a paz e a serenidade, não há como apreciar.

A Copa do Mundo trará benefício aos brasileiros?

O principal benefício será a experiência, sendo esta proporcionada pelo conhecimento sobre as nações, pelo contato com culturas diferentes e, principalmente, pelo despertar do povo para a realidade.

Se o Brasil não for campeão, quem será?

Se o Brasil não for o campeão, o campeão será o vencedor! Ironias à parte, infelizmente, a maioria dos jogos esportivos, desses acontecimentos mundiais, está envolta em cartas marcadas, posto que existem interesses nos âmbitos econômico, político e social.


Entrevista de INRI CRISTO ao Diário de SP por inricristonaweb

DEIXAR UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

5 + três =